Conteúdo publicado há 3 meses

Viúva de Marielle: Fala de ministro podia ser nota; não resposta causa dor

A declaração do ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski —que comunicou ontem a homologação da delação premiada de Ronnie Lessa—, frustrou e causou ansiedade desnecessária, afirmou Mônica Benício, viúva de Marielle Franco, em entrevista ao UOL News nesta quarta (20). A falta de respostas sobre o crime, afirmou, causa ainda mais dor.

Muito sinceramente, a declaração do ministro poderia ser uma nota. Com isso, teria poupado ansiedades e um espetáculo desnecessário da própria imprensa, que ficará enlouquecida sobre o conteúdo dessa delação. Um caso como esse não pode servir de espetáculo político e midiático para ninguém. Isso não cabe em uma dor que se arrasta por seis anos.

O pronunciamento me frustrou e causou uma ansiedade desnecessária. Poderia ser uma nota respeitosa informando sobre algo importantíssimo que é a homologação da delação do Ronnie Lessa. Isso não é questionado. É um passo muito importante e nos coloca mais próximos da resolução do caso. Mas poderia ter sido feito de forma mais respeitosa.

A declaração do ministro me pegou de surpresa, assim como milhares de brasileiros. Esperava que, diante do chamado de um pronunciamento como esse, minhas expectativas estivessem erradas e que aquilo que seria dito fosse algo mais contundente e desse a resposta que o Brasil precisa e a democracia está ansiosa para ter: quem mandou matar Marielle e por quê? Mônica Benício, viúve de Marielle Franco e vereadora do Rio de Janeiro (PSOL)

Mônica lamentou a falta de respostas mais concretas sobre o assassinato de Marielle, o que reforça a sensação de impunidade no país.

Eu estava no Plenário da Câmara Municipal quando recebi a notícia que o ministro faria um pronunciamento. Confesso que, entre ansiedades e expectativas, no fundo não tinha o convencimento de que seria algo mais consistente do que foi a fala do próprio ministro.

Queremos respostas mais contundentes e não mais prazos que não se cumprem e promessas esvaziadas. Essa não resposta nos provoca mais dor. Essas promessas vazias não colaboram com a esperança, mas com esse sentimento ainda mais doloroso dessa espera e dessa angústia.

O fato de não termos respostas consistentes do fechamento desse caso até hoje diz que hoje no Brasil admitimos haver um grupo político capaz de assassinar como forma de fazer política na certeza da impunidade. Mônica Benício, viúve de Marielle Franco e vereadora do Rio de Janeiro (PSOL)

O que aconteceu

Lewandowski afirmou que a delação do ex-PM Ronnie Lessa foi homologada pelo STF. O ministro disse que não teve acesso à delação e reiterou que o caso tramita em segredo de Justiça.

Continua após a publicidade

Nós sabemos que essa colaboração premiada traz elementos importantíssimos que nos levam a crer que brevemente teremos a solução do assassinato da vereadora Marielle Franco
Ricardo Lewandowski, ministro da Justiça e Segurança Pública

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Deixe seu comentário

Só para assinantes