Conteúdo publicado há 25 dias
OpiniãoPolítica

Reinaldo: Bolsonaro merece, quando menos, tornozeleira eletrônica

O colunista do UOL Reinaldo Azevedo afirmou durante o programa Olha Aqui! que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deveria, ao menos, utilizar uma tornozeleira eletrônica enquanto é investigado.

Não tem essa de viajar e pedir o passaporte para fazer política com o Netanyahu, fazendo de conta que Bolsonaro não está submetido a algumas restrições que estão postas como alternativa aquilo que seria mais duro e justificável, a prisão. Eu não liberaria o passaporte e ainda colocaria uma tornozeleira eletrônica no Bolsonaro. Reinaldo Azevedo

Na última segunda-feira (25) os advogados de Bolsonaro pediram a devolução do passaporte do ex-presidente. O pedido foi feito para que Bolsonaro pudesse visitar Israel e, junto à petição ao STF (Supremo Tribunal Federal), a defesa anexou um convite do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, para que o ex-presidente e a família visitem o país entre os dias 12 e 18 de maio.

Reinaldo, entretanto, destacou que Bolsonaro deve cumprir algumas medidas cautelares durante as investigações e, isso significa a retenção de seu passaporte para que não exista qualquer risco de fuga do ex-presidente.

Há medidas menos gravosas para não se recorrer ao extremo de prender alguém. Nas democracias a prisão é a mais extrema das medidas, só não é a mais extrema das medidas no mundo porque tem a tortura e a morte. No Brasil, que não há pena de morte, o pior para um preso é a prisão. (...) as medidas alternativas ou cautelares servem para não se recorrer ao mais duro. Isso que faz a defesa do Bolsonaro, e tem todo o direito de fazer isso, fica parecendo que as medidas cautelares são só um capricho, mas não é assim. Quando se vai para as medidas cautelares é porque a rigor a pessoa poderia ser presa, mas por ora se evita o pior até o julgamento. Reinaldo Azevedo

Por fim, o colunista do UOL voltou a defender o uso da tornozeleira eletrônica para Bolsonaro, e relembrou o recente episódio onde o ex-presidente passou dois dias na embaixada da Hungria, em Brasília.

A defesa tem o direito de pedir o que quiser, mas há uma tática meio acintosa de exercício do direito de defesa, que não se justifica. Isso vem depois do negócio da embaixada, e considerando que o negócio da embaixada lida com a perspectiva da fuga ou da saída do Brasil para não cumprimento da lei penal, me parece que uma tornozeleira combina bem e é um enfeite compatível com o personagem. Reinaldo Azevedo

***

O Olha Aqui! vai ao ar às segundas, quartas e quintas, às 13h.

Continua após a publicidade

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja abaixo o programa na íntegra:

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes