Conteúdo publicado há 1 mês
OpiniãoPolítica

Maierovitch: Já está na hora de cada ministro do STF voltar ao seu quadrado

Em meio aos atritos entre o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso e os ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes, cada juiz do Supremo deveria retomar sua independência e deixar o lado político de lado, disse o jurista e colunista Wálter Maierovitch no UOL News desta terça (16).

O regime é democrático e o tribunal atende ao seu objetivo constitucional. Ou seja: cada juiz no seu quadrado, com a liberdade de julgar, pronunciar-se e mudar de posição após ouvir a exposição e o voto de um dos seus pares. É assim que funciona. Quando o tribunal vira monolítico, começa um problema.

O tribunal formou maioria em defesa da democracia contra o golpismo. Houve exageros, mas a causa era nobre. Mas já estava na hora de cada ministro voltar ao seu quadrado e ter sua independência e não ficar agregado a teses e movimentações políticas. Wálter Maierovitch, colunista do UOL

Maierovitch mostrou-se favorável à postura de Barroso, mesmo se indispondo com Moraes e Mendes, e disse que a sociedade brasileira sai vitoriosa com este posicionamento.

Um Supremo de bastidores com relação a questões jurisdicionais é o horror dos horrores porque acaba o debate e a liberdade de expressão autêntica dos juízes. Eles aderem às teses, aos grupos e, às vezes, até a passeios do 'Gilmarpalooza'. Um juiz tem que voltar ao seu quadrado.

Barroso vai no movimento de que cada um tem a liberdade para dar seu voto e seu convencimento, que são livres. Isso é um prêmio à sociedade. Wálter Maierovitch, colunista do UOL

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Continua após a publicidade

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes