PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Famílias de SP não poderão escolher onde enterrar vítimas de covid-19

Funcionários durante entrerro no cemitério da Vila Formosa na zona leste de São Paulo - MARCELLO ZAMBRANA/ESTADÃO CONTEÚDO
Funcionários durante entrerro no cemitério da Vila Formosa na zona leste de São Paulo Imagem: MARCELLO ZAMBRANA/ESTADÃO CONTEÚDO

Patrick Mesquita

Do UOL, em São Paulo

28/04/2020 16h23

As famílias dos mortos por covid-19 na cidade de São Paulo não poderão escolher onde as vítimas da doença serão enterradas caso o número de sepultamentos chegue a 400 por dia.

A medida está prevista em um decreto publicado pelo prefeito Bruno Covas no último sábado, que estabelece medidas excepcionais para o serviço funerário enquanto durar o estado de calamidade pública decretado devido à pandemia do novo coronavírus.

"Fica autorizado o Serviço Funerário do Município de São Paulo, sob a coordenação da Secretaria Municipal das Subprefeituras, a determinar os locais de sepultamento dos falecidos, mesmo que diverso do local pretendido por seus familiares", diz o inciso II do artigo 4º.

Além disso, caso o número de sepultamentos chegue a 400 por dia, ficam proibidos os velórios em locais públicos. O decreto também permite enterros noturnos e não mais só até às 18 horas em cemitérios municipais.

O estado registrou nas últimas 24 horas o maior número de mortes por covid-19. Foram 224 mortes e 2.345 novos casos oficiais. São Paulo é a região mais atingida no Brasil e cerca de 45% das vítimas fatais do coronavírus moravam na região.

Coronavírus