PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
15 dias

Mandetta teme que variante provoque megaepidemia no Brasil em 60 dias

Luiz Henrique Mandetta foi ministro do governo Bolsonaro até abril de 2020  - Foto: Adriano Machado/Reuters
Luiz Henrique Mandetta foi ministro do governo Bolsonaro até abril de 2020 Imagem: Foto: Adriano Machado/Reuters

Do UOL, em São Paulo

28/01/2021 08h21

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse, em entrevista à TV Cultura, que a variante do novo coronavírus detectada primeiramente em Manaus pode provocar uma megaepidemia no Brasil em 60 dias.

Na avaliação de Mandetta, a transferência de pacientes da capital amazonense para outros estados e a falta de controle podem "plantar" a nova cepa em todo o território brasileiro, agravando a situação da pandemia no Brasil. Há indícios de que a variante aumenta a transmissibilidade do vírus.

"A quinta crise (que estamos enfrentando) é essa história dessa cepa, dessa variante em Manaus, que o mundo inteiro está fechando os voos para o Brasil e o Brasil está, não só aberto normalmente, como está retirando paciente de Manaus e mandando para Goiás, mandando para a Bahia, mandando para outros lugares sem fazer os bloqueios de biossegurança", disse.

"Provavelmente, a gente vai plantar essa cepa em todos os territórios da federação e daqui a 60 dias a gente pode ter uma megaepidemia", completou.

As outras quatro crises enfrentadas pelo Brasil ao longo da pandemia apontadas por Mandetta na entrevista foram as seguintes

  • a sabotagem do presidente Jair Bolsonaro ao sistema de prevenção
  • a defesa do uso da cloroquina que "contaminou a política do tratamento"
  • pouco alcance da testagem
  • o discurso desestimulante de Bolsonaro à vacina

A cepa brasileira tem origem ligada a Manaus, cidade que vive um colapso do sistema de saúde por causa da explosão no número de casos. Ela foi identificada pela primeira vez no dia 9 de janeiro, em viajantes que chegaram ao Japão depois de passarem pela capital amazonense.

A cepa já foi registrada na cidade de São Paulo e em diversos países, como Itália, Estados Unidos, Alemanha e Japão. Diversos países, como Portugal, Reino Unido e Estados Unidos, restringiram a entrada de brasileiros.

Além desta cepa, existem outras duas variantes que preocupam por causa de indícios de maior transmissibilidade : a britânica e a sul-africana. A primeira já foi detectada em 70 países e a segunda está presente em pelo menos 31 nações, conforme dados da OMS.

Coronavírus