PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Centenários fazem fila em drive-thru da vacina no RJ: 'Quero abraçar todos'

1º.fev.2021 - Vacinação em posto drive-thru na Uerj a idosos com mais de 99 anos - ERBS JR./FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
1º.fev.2021 - Vacinação em posto drive-thru na Uerj a idosos com mais de 99 anos Imagem: ERBS JR./FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio

01/02/2021 12h47

No primeiro dia de vacinação em idosos com mais de 99 anos na cidade do Rio, uma grande fila de carros foi formada no posto da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), onde acontece a imunização via drive-thru. Reencontrar a família —os netos, em especial— e voltar a sair de casa estão entre os desejos dos centenários que tomaram hoje o imunizante.

Um dos primeiros a tomar a vacina foi Severino Teodoro de Melo, 103. O subtenente reformado do Exército agradeceu aos cientistas pela vacina. "O agradecimento a quem em tão pouco tempo [os cientistas] conseguiu dar essa garantia de vida".

Uma hora após a abertura dos portões cerca de 50 idosos já haviam sido vacinados. A primeira foi Haymee Lima Figueiredo, 99, que completa cem anos em 21 de maio. "Eu estou muito, muito feliz. Que tudo volte ao normal, com alegria."

De segunda a sexta, das 9h às 15h, o posto de vacinação drive-thru da Uerj disponibilizará, por dia, mil doses da CoronaVac. Para quem que não tem carro, a vacinação está disponível em 232 postos de saúde. Até o final de fevereiro, a expectativa é de que a população com mais de 80 esteja vacinada.

Prestes a completar 107 anos, Neuza Rego Teixeira da Cunha teve covid-19 no início da pandemia e se diz aliviada por receber a primeira dose. "Eles [a família] querem que eu viva", disse a idosa.

Já Odeth Rodrigues Afonso Rollo, 101, reclamou das restrições impostas pela pandemia do coronavírus.

Eu caminhava, fazia hidro, fazia tudo e fiquei presa. Me senti muito mal. Quando tudo estiver melhor eu posso voltar a fazer tudo o que eu fazia. Quero juntar minha família e dar um abraço forte em todos

Odeth Rodrigues Afonso Rollo, 101

Polêmica sobre descarte da vacina

Após as denúncias de descarte irregular de vacina em postos de saúde, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, aconselhou os profissionais que priorizem no período da manhã a vacina Oxford/AstraZeneca —o imunizante contém dez doses em cada frasco, diferentemente da CoronaVac envasado em dose única.

"Não há distinção das vacinações, mas estamos orientando a usar a Oxford de manhã, porque vem mais doses, e a CoronaVac à tarde, porque é uma dose. A ideia é que não tenhamos o desperdício da vacina."

Segundo o secretário, o Rio é a capital que mais vacinou. "São 140 mil pessoas vacinadas até agora e ainda temos vacinas para fazer essa faixa etária. Estamos na expectativa de recebermos mais remessas de vacinas. Esperamos que o Instituto Butantan entregue mais doses ainda nesta semana, o que poderá acelerar esse processo de vacinação."

Coronavírus