PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Sem citar mortes recordes, Pazuello fala em 'dia difícil' e anuncia vacinas

Do UOL, em São Paulo

03/03/2021 21h36Atualizada em 03/03/2021 22h41

No dia em que o Brasil registrou seu recorde de mortes pela covid-19 em 24 horas, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, reconheceu que o país atingiu um "grave momento da pandemia" — sem, contudo, citar o número de mortes ou de infectados, que ultrapassaram hoje os 259 mil e os 10,7 milhões, respectivamente.

"Hoje é um dia difícil para todos os brasileiros", disse Pazuello em vídeo divulgado pelo Ministério da Saúde. "As variantes do coronavírus nos atingem de forma agressiva. A todos vocês, quero dizer que estamos trabalhando firmes para mudar esse quadro. Não somos uma máquina de fabricar soluções, mas somos seres humanos focados na resolução de problemas."

Ele também comemorou o acordo com a Pfizer/BioNTech e a Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, para a compra de 138 milhões de doses de vacina, reforçando que o Ministério da Saúde está "trabalhando forte" para que, até o fim do ano, sejam imunizados todos os maiores de 18 anos que puderem.

Ao final, Pazuello ainda alertou para a importância de que a população mantenha os "cuidados preventivos individuais" — sem citar quais — para "diminuir o risco de ficar doente".

Autoridades sanitárias no mundo todo, porém, recomendam o uso de máscara e o respeito ao distanciamento social, constantemente criticados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Essas medidas, aliadas à higienização das mãos, são comprovadamente eficazes para conter a disseminação do coronavírus.

Tristes recordes

Hoje foi o dia mais letal de toda a pandemia para o Brasil, com 1.840 novas mortes causadas pela covid-19 confirmadas de ontem para hoje. O país também estabeleceu sua maior média móvel de óbitos — 1.332 nos últimos sete dias —, sendo o quinto dia seguido de recorde.

Os dados são do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte, com base nas informações transmitidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Desde o início da pandemia, 259.402 pessoas morreram no Brasil em decorrência da covid-19. Dos cinco dias com maior número de óbitos, três foram nos últimos sete dias (os números não indicam quando os óbitos ocorreram de fato, mas, sim, quando passaram a contar dos balanços oficiais):

  • 3 de março - 1.840
  • 2 de março - 1.726
  • 25 de fevereiro - 1.582
  • 29 de julho - 1.554
  • 4 de junho - 1.470

Os recordes sucessivos mostram que o Brasil passa por seu pior momento desde março de 2020. Vários estados enfrentam situações críticas, à beira de um colapso em seus sistemas de saúde. O governo de São Paulo, por exemplo, anunciou hoje que todo o estado vai entrar na fase vermelha, o mais restritivo do Plano São Paulo, a partir de sábado (6), numa tentativa de evitar o caos.

Coronavírus