PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Mourão diz que vê cultos possíveis no momento: 'É diferente de balada'

Vice-presidente argumentou que pessoas que frequentam celebrações religiosas são "mais disciplinadas". Ontem, missas e cultos descumpriram protocolos - Adriano Machado
Vice-presidente argumentou que pessoas que frequentam celebrações religiosas são "mais disciplinadas". Ontem, missas e cultos descumpriram protocolos Imagem: Adriano Machado

Do UOL, em São Paulo

05/04/2021 13h21

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse hoje que vê a possibilidade da realização de missas e cultos religiosos mesmo no pior momento da pandemia de covid-19 no país. Após uma decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Kassio Nunes Marques ter liberado as celebrações para o domingo de Páscoa, Mourão afirmou que a realização dos eventos depende do público e do local.

"Tudo depende das pessoas e depende do templo", afirmou o vice-presidente em declaração dada à imprensa no Palácio do Planalto, em Brasília.

"Se você tem uma igreja que tem um espaço bom, você limita a 20, 30 pessoas separadas, duas por banco, vamos colocar assim, todo mundo de máscara, obviamente, acho que há condições. Agora, quando são templos apertados e muita gente lá dentro, é óbvio que não é conveniente", disse Mourão.

O vice-presidente ainda usou como argumento a favor da realização das missas e cultos o comportamento do público. Para Mourão, as pessoas que frequentam igrejas e templos são "mais disciplinadas", e por isso podem cumprir melhor as determinações de prevenção ao novo coronavírus.

"É diferente de balada, essas festas clandestinas que acontecem. Não vou colocar no mesmo nível isso aí, são duas atividades totalmente distintas. Uma é espiritual e a outra é corporal, vamos dizer assim", acrescentou.

Missas e cultos descumprem protocolos

Na decisão proferida por Nunes Marques anteontem (3), o ministro do STF determinou algumas condições para a realização das celebrações, entre elas a ocupação máxima de 25% da capacidade do local e o uso alternado de fileiras de cadeiras ou bancos por parte dos fiéis. Em missas e cultos celebrados ontem (4), porém, foi possível observar descumprimento aos protocolos.

Nas missas realizadas na Basílica de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP) e na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, os fiéis mantinham menor distanciamento social do que o determinado, principalmente pela proximidade entre as fileiras. Em culto da Igreja Mundial do Poder de Deus, em São Paulo, a cena também se repetiu.

Os cultos e missas foram suspensos por determinações estaduais e de prefeituras como forma de conter a propagação do novo coronavírus. Em quase todo o país, o sistema de saúde segue pressionado pelo avanço da pandemia, com internações e mortes causadas pela covid-19 em alta.

Coronavírus