PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
6 meses

Queiroga diz que Saúde discute aplicar 4ª dose: 'Seria a dose de 2022'

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, disse que a pasta "tem discutido" aplicação de quarta dose - EBC
Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, disse que a pasta "tem discutido" aplicação de quarta dose Imagem: EBC

Do UOL, em São Paulo

07/02/2022 10h00Atualizada em 07/02/2022 13h09

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou hoje que a pasta "tem discutido" a aplicação de uma quarta dose contra a covid-19, mas ainda não bateu o martelo sobre o reforço na imunização. Na prática, o chefe do ministério disse que, caso seja decidido algo nesse sentido, "seria a dose de 2022".

"A área técnica tem discutido. A secretária Rosana [de Melo, da Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19] conversou comigo na sexta-feira passada e disse que o grupo técnico ainda não avalia aplicar quarta dose, mas, na prática, seria a dose de 2022", disse Queiroga.

Também na sexta-feira (4), o Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica dizendo que não há dados suficientes para a recomendação da quarta dose da vacina. A informação é da Folha de S.Paulo.

O texto ressalta que o plano é dinâmico e depende da evolução do conhecimento científico, da situação epidemiológica e da disponibilidade de vacinas no Brasil.

"Antes de avançarmos rumo a novas indicações no calendário do PNO [Plano Nacional de Operacionalizações], se faz necessário compreender o cenário epidemiológico com maior detalhamento quanto às hospitalizações, óbitos e infecções pela Covid-19 entre determinados grupos etários e sua relação com o status de vacinação (vacinados x não vacinados)", diz trecho da nota.

Mesmo sem a orientação do Ministério da Saúde, a cidade de Botucatu (SP) começou ontem a vacinar idosos contra a covid-19 com a quarta dose do imunizante. Foram vacinados 2.709 idosos.

A determinação atual da Saúde é para que a população tome a dose de reforço contra a covid-19 respeitando o prazo mínimo de quatro meses após a aplicação da segunda dose. A regra, no entanto, por enquanto só vale para pessoas acima de 18 anos.

Queiroga também afirmou que o Ministério da Saúde vai distribuir até 15 de fevereiro doses suficientes para imunizar todas as crianças de 5 a 11 anos. Essa faixa etária pode receber as doses da Pfizer e da CoronaVac, ambas aprovadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para esses públicos.

Segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa do qual UOL faz parte, 151 milhões de pessoas estavam com a vacinação completa contra a covid-19 até ontem. O número representa 70,32% da população nacional.

Até o momento, 166.982.712 brasileiros foram vacinados com a primeira dose, o correspondente a 77,73% da população do país. Também foram aplicadas 50.782.047 doses de reforço até aqui.

Quanto à vacinação de crianças entre 5 e 11 anos, delas já foram imunizadas 2.946.800 com a dose inicial, o equivalente a 14,37% da população desta faixa etária.

Coronavírus