PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
5 meses

Gorinchteyn rebate Queiroga e pede 'respeito' à decisão de aplicar 4ª dose

Secretário da Saúde de SP defendeu fala do governador Doria, que anunciou aplicação de quarta dose - Sergio Andrade/Governo de São Paulo
Secretário da Saúde de SP defendeu fala do governador Doria, que anunciou aplicação de quarta dose Imagem: Sergio Andrade/Governo de São Paulo

Do UOL, em São Paulo

10/02/2022 11h47Atualizada em 10/02/2022 14h03

O secretário da saúde do estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, rebateu às críticas do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre a decisão do estado de aplicar uma quarta dose da vacina contra a covid-19 em toda a população.

"Gostaria de respeito às atitudes científicas e politicas que têm sido tomadas especialmente pela Secretaria de Estado da Saúde nas estratégias que vÊm sendo feitas para a preservação da vida", afirmou o secretário à Jovem Pan.

Em defesa do governo de SP, Gorinchteyn disse que o Executivo paulista "sempre se pautou na ciência". "Nós temos inclusive um comitê científico apoiado por grandes cientistas da USP (Universidade de São Paulo)", afirmou.

Ontem, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que estado vai adotar a aplicação da quarta dose da vacina, mesmo sem aval do Ministério da Saúde.

A fala foi criticada por Marcelo Queiroga, que indagou sobre a viabilidade da ação. "Se cada um quiser seguir de uma forma, o que vai acontecer? Quem é que tem a responsabilidade de garantir as doses? Há uma logística de distribuição das doses", disse.

Ainda ontem, logo após o anúncio pela manhã, porém, Doria fez uma pontuação sobre o tema da quarta dose, dizendo que ela não será "aplicada imediatamente". "O fato de considerar não quer dizer que se vai aplicar", afirmou.

Retomando o assunto na manhã de hoje, Queiroga pediu que não ocorra "ansiedade" para a aplicação da quarta dose. Segundo ele, isso "não ajuda no enfrentamento à pandemia".

"Quando houver evidência científica suficiente para que a quarta dose seja feita na população acima de 18 anos, o grupo técnico [do Ministério da Saúde] vai orientar", disse Queiroga.

"Quando se faz algo em dissonância com o que o Ministério da Saúde recomenda, nós não temos compromisso de entregar doses", pontuou, afirmando que a pasta "não tem o intuito" de tomar uma posição contrária ao que for decidido pelo grupo técnico.

Quarta dose para pessoas com imunossupressão

Ontem, o Ministério da Saúde passou a recomendar a aplicação de uma quarta dose da vacina para pessoas com quadro de imunossupressão — como aquelas que estão realizando quimioterapia ou vivem com HIV/Aids — que tenham 12 anos ou mais.

Antes, o ministério recomendava, desde dezembro do ano passado, a aplicação da quarta dose apenas para pessoas com quadro imunossupressão que tivessem 18 anos ou mais.

No mundo, em janeiro deste ano, Israel começou a aplicar da quarta dose da vacina para pessoas acima de 60 anos. Já na última segunda-feira (7), o Chile começou a adotar a ação para quem tem 55 anos ou mais.

Coronavírus