Juiz e parentes morrem em bombardeio do Iêmen atribuído a coalizão

Em Amã

  • TV jordaniana/AP Photo

    Sajida al-Rishawi (em foto de arquivo)

    Sajida al-Rishawi (em foto de arquivo)

Sanaa, Iêmen, 25 Jan 2016 (AFP) - Um juiz e sete integrantes de sua família morreram em um bombardeio atribuído à coalizão liderada pela Arábia Saudita, que destruiu sua casa em Sanaa, a capital do país que está sob controle dos rebeldes xiitas, afirmo um parente do magistrado.

"O juiz Yahia Mohamed Rabia, seu filho, suas três mulheres e seus três filhos morreram quando um míssil atingiu sua casa", afirmou Ahmed Mohamed, sobrinho do magistrado.

Mohamed fez a declaração diante da casa em ruínas, no centro de Sanaa, e afirmou que o imóvel foi atingido durante a madrugada por aviões da coalizão árabe.

Também disse que o tio presidia o tribunal de "assuntos terroristas", no qual serão julgados vários iemenitas acusados de pertencer à Al-Qaeda.

Após 10 meses de campanha aérea, a coalizão continua atacando quase diariamente alvos na região de Sanaa e do resto do Iêmen, áreas que considera posições dos rebeldes xiitas huthis, favoráveis ao Irã.

Os huthis, que continuam controlando a capital e grande parte do norte do Iêmen, afirmam que os ataques aéreos provocam em sua maioria vítimas civis.

Várias ONGs que atuam no país denunciam a morte de civis nos ataques aéreos ou nos combates entre huthis e tropas leais ao presidente Abd Rabo Mansur Hadi.

Segundo a ONU, a guerra no Iêmen deixou quase 6.000 mortos desde março, quase metade deles civis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos