PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Meio-irmão de Obama diz que votará em Trump nas presidenciais dos EUA

Thomas Mukoya/Reuters
Imagem: Thomas Mukoya/Reuters

Em Nairóbi

25/07/2016 16h00

Malik Obama, o meio-irmão de Barack Obama, disse que votará no candidato republicano Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro por se sentir decepcionado pelo pouco caso que, em sua opinião, o presidente americano dá à sua família queniana, disse nesta segunda-feira à AFP.

"Este Trump é um cara realmente 'cool' e o admiro porque fala com o coração e tem os pés no chão", declarou Malik Obama, entrevistado por telefone de Nairóbi em sua casa na aldeia de Kogelo, no oeste do Quênia, de onde é originária a família paterna de Barack Obama.

"Trump está, antes que nada, preocupado com a segurança e quer dar sua grandeza à América", acrescentou. "Trump é honesto, como só os republicanos são. Os democratas só falam e dizem o que as pessoas querem escutar", afirmou.

"Olhem para Trump, este rapaz fala com o coração e dá para ver que é muito honesto no que diz. Diz o que pensa. Não é como quando alguém diz só o que deve dizer", continuou.

Malik Obama, mais velho que Barack, tem dupla nacionalidade queniana e americana e vota desde 1985 nos Estados Unidos. "Votarei em Trump. Tem meu voto", prometeu.

Sua escolha está condicionada a um certo ressentimento com relação ao meio-irmão, que considera que deveria fazer mais pelo Quênia e sua família queniana.

"Eu sempre gostei do meu irmão, mas só o vejo quando vem ao Quênia e nos disse que não podia ficar muito tempo com sua família precisamente porque é presidente dos Estados Unidos, e deve terminar seu mandato antes de poder se aproximar de nós", destacou.

Barack Obama fez em julho de 2015 sua primeira visita ao Quênia desde que chegou à Casa Branca, em 2009. Mas não pôde ir a Kogelo, onde seu pai está enterrado.

Barack Obama nasceu no Havaí, filho de mãe americana e pai queniano, a quem apenas conheceu. Ele deixou os Estados Unidos quando o filho, Barack, tinha dois anos e meio e morreu em um acidente de carro aos 46 anos.

 

Internacional