PUBLICIDADE
Topo

Síria: minas e restos de explosivos mataram 173 civis desde o início do ano

Cadeira de rodas é vista próxima a destroços de um prédio bombardeado em Ariha, sul da província de Idlib, na Síria - Omar Haj Kadour/AFP
Cadeira de rodas é vista próxima a destroços de um prédio bombardeado em Ariha, sul da província de Idlib, na Síria Imagem: Omar Haj Kadour/AFP

03/10/2019 21h44

Pelo menos 173 civis, incluindo 41 crianças, morreram na Síria desde o início do ano devido às minas e restos explosivos da guerra, informou nesta quinta-feira o Observatório de Direitos Humanos da Síria (OSDH).

Após o início da guerra em 2011, os diferentes grupos armados enterraram um número considerável de minas nas áreas urbanas e também em terrenos baldios ou em áreas de cultivo.

Dispositivos explosivos também foram abandonados em todo o país.

"Desde o início de 2019, 173 civis, incluindo 41 crianças, morreram devido a minas e restos de explosivos", anunciou o OSDH.

Segundo a ONU, na Síria existem mais de dez milhões de pessoas expostas aos perigos desses explosivos de guerra.

"Todos os dias os civis morrem ou acabam mutilados devido a minas e outras munições", lamentou recentemente o Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

Esse problema "impede que muitas pessoas voltem para suas casas e removam os escombros para reconstruir ou cultivar seus campos com segurança. Também afeta crianças, que não podem brincar ou ir à escola em boas condições", um porta-voz da ONU em Damasco.

Internacional