Topo

Guedes chama clonagem de celular de 'banditismo'

O ministro da Economia, Paulo Guedes - Pablo Valadares/Agência Câmara
O ministro da Economia, Paulo Guedes Imagem: Pablo Valadares/Agência Câmara

Julia Lindner, Anne Warth e Mariana Haubert

Brasília

23/07/2019 19h26

Após afirmar que teve o celular clonado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou a ação como "banditismo". Ele disse que "marginais" ficam fazendo esse tipo de coisa enquanto o governo quer reconstruir o Brasil.

"Isso é o banditismo. Isso é invasão de privacidade, isso é um retrocesso enorme, isso é o uso de coisas destrutivas. Estamos querendo reconstruir o país e tem, infelizmente, marginais, bandidos que ficam fazendo este tipo de coisa. Mas vamos para frente", disse após cerimônia lançamento do programa do Novo Mercado de Gás, no Planalto.

O ministro afirmou que teve o celular hackeado na noite de segunda-feira (22), segundo a assessoria do Ministério da Economia. Ele pediu que mensagens vindas do número invadido e de outras pessoas do gabinete sejam desconsideradas. A assessoria disse ainda que tomará as medidas cabíveis.

Guedes é o segundo ministro do governo a ser alvo de hackers. Antes dele, o ministro da Justiça, Sergio Moro, relatou que o celular foi invadido. A líder do governo, Joice Hasselmann (PSL-SP), também afirmou que teve o celular invadido no início da semana.

Ministro Paulo Guedes tem celular hackeado

Band Entretenimento

Mais Governo Bolsonaro