PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Compromisso é acabar com desmatamento até 2030; Brasil o fará até 2028, diz ministra

"Nosso compromisso é erradicar desmatamento até 2030, e o Brasil vai fazer isso", reforçou Tereza Cristina - Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo
"Nosso compromisso é erradicar desmatamento até 2030, e o Brasil vai fazer isso", reforçou Tereza Cristina Imagem: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

Célia Froufe

Brasília

22/11/2021 14h16Atualizada em 22/11/2021 15h08

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, destacou nesta segunda, 22, que a Agropecuária é um setor muito importante na agenda climática mundial. "Nosso compromisso é erradicar desmatamento até 2030, e o Brasil vai fazer isso. Em breve, o ministro Joaquim Leite falará mais sobre conseguirmos isso em 2028", afirmou, durante entrevista coletiva para fazer um balanço da participação do Brasil na COP26, ao lado dos ministros do Meio Ambiente e também do das Relações Exteriores, Carlos França.

Ela ressaltou o resultado do Programa ABC, que o Brasil desenvolve há 10 anos, e o ABC+, voltado à baixa emissão de carbono e que, segundo Tereza, foi a grande estratégia para o cumprimento da meta brasileira. A ministra salientou que o seu ministério terá de acelerar programas pró-preservação e valorizar cada vez mais os serviços de preservação da floresta. "O Brasil levou temas para a COP que o País já trabalha há muito tempo", enfatizou.

Metano

Tereza Cristina, avaliou que a adesão do Brasil ao acordo de redução da emissão de metano em 30% até 2030 trará "oportunidades à agropecuária e outros segmentos". Ela fez esta consideração durante entrevista coletiva para fazer um balanço da participação do Brasil na COP26. No Palácio do Itamaraty.

No dia do anúncio de que o País seria signatário, uma fonte explicou ao Broadcast que a adesão não significaria qualquer empenho extra do Brasil, além daquele que já promove nessa área. A ministra enfatizou que a meta de redução de 30% do acordo de metano não é para o Brasil, mas deve ser atingido pelo grupo todo, formado por 104 países signatários.

Na mesma coletiva, o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, declarou que a participação do Brasil nesse acordo foi estratégico. "Aderimos ao acordo para expor ao mundo programas nacionais que já existem", explicou.

Crédito de carbono

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, previu que o Brasil poderá ser capaz de exportar US$ 10 bilhões em crédito de carbono depois que o assunto foi debatido durante a Convenção do Clima de Glasgow (COP26). O mercado total, conforme ele, deve ser de US$ 50 bilhões, mas o ministro não identificou sobre qual período falava durante entrevista coletiva para fazer um balanço da participação do Brasil na COP26.

Mais uma vez, Leite disse que o Brasil saiu vitorioso na COP26, e que o País é parte da solução para o desafio global de aquecimento.

"A COP26 não foi ideal em todos os temas, mas o Brasil será protagonista do mercado de carbono", previu. "O Brasil será o maior exportador de crédito de carbono para países e empresas", continuou.

Meio Ambiente