PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
4 meses

Rejeitado no Nordeste, Bolsonaro prepara viagem para CE e PB em fevereiro

Nos últimos dias, Bolsonaro tem concedido uma série de entrevistas para meios de comunicação do Nordeste - Adriano Machado/Reuters
Nos últimos dias, Bolsonaro tem concedido uma série de entrevistas para meios de comunicação do Nordeste Imagem: Adriano Machado/Reuters

Em Brasília

18/01/2022 13h17Atualizada em 18/01/2022 13h19

Em clima de campanha eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro (PL) deve visitar no mês que vem estados do Nordeste, segundo maior colégio eleitoral do país.

Reduto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), é a região na qual o atual presidente enfrenta maiores índices de rejeição.

Em conversa com apoiadores hoje, o chefe do Executivo sinalizou que viajará em fevereiro à Paraíba e ao Ceará, berço político do ex-governador Ciro Gomes, pré-candidato do PDT ao Palácio do Planalto e também rival de Bolsonaro na eleição presidencial de 2022.

Desde que recebeu alta do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde ficou internado com um quadro de obstrução intestinal no começo de janeiro, o presidente tem feito acenos às suas principais bases eleitorais e reciclado ataques contra as instituições.

Pressionado pelo efeito eleitoral da alta da inflação, também voltou a criticar a cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nos estados, considerado por ele como o "vilão" do preço dos combustíveis no país.

Agora, Bolsonaro mira em um público que costuma votar no PT e, principalmente, em Lula: a população mais pobre do Nordeste.

Como trunfo para conquistar esse eleitor, o presidente tem o Auxílio Brasil de R$ 400, que substituiu o programa de transferência de renda Bolsa Família, dos governos petistas.

"Vou estar no mês que vem na Paraíba e acho que Ceará também", disse o chefe do Executivo a apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada.

Na última sexta-feira (14), Bolsonaro já havia citado o Auxílio Brasil em um aceno aos eleitores do Nordeste. Durante uma entrevista para a Rádio Uirapuru Jaguaribana, do Ceará, disse que seu governo se resume em "auxílio, obras e pautas conservadoras". O presidente também aproveitou para atacar Lula e partidos de esquerda.

Em seis de janeiro, um dia após sair do hospital, Bolsonaro concedeu uma entrevista à TV Nova Nordeste, elogiou a região e citou obras locais.

De acordo com pesquisa Datafolha divulgada em 14 de dezembro, Bolsonaro alcança 67% de rejeição no Nordeste, acima dos 60% no Brasil como um todo. Em 2018, o presidente perdeu na região para o então candidato do PT, Fernando Haddad.

Política