PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Família confirma identidade de autor do ataque em Nice

Soldados franceses protegem a Basílica de Notre-Dame de Nice, na França, após um ataque com faca que deixou três mortos e vários feridos - Eric Gaillard/Pool/AFP
Soldados franceses protegem a Basílica de Notre-Dame de Nice, na França, após um ataque com faca que deixou três mortos e vários feridos Imagem: Eric Gaillard/Pool/AFP

30/10/2020 07h57

TÚNIS, 30 OUT (ANSA) - A família do jovem tunisiano B.A., 21 anos, confirmou que ele foi o autor do ataque terrorista na Basílica de Notre-Dame de Nice, ocorrido ontem, e que deixou três vítimas.

Em entrevista ao "Al Arabiya", o irmão contou que recebeu uma foto da igreja e a mensagem de Aoussaoui de que "queria passar a noite em frente à basílica". A família ainda afirmou que reconheceu o jovem nas fotos divulgadas pela imprensa.

"Sim, é ele. É o nosso filho. Ele tinha me ligado assim que chegou na França", disse a mãe, sem precisar a data da chegada e visivelmente abalada pela situação. Segundo informou o portal local, a família vive em condição de pobreza.

A Tunísia emitiu uma nota oficial em que condena fortemente o ataque terrorista e informou que abriu uma investigação na Procuradoria Antiterrorismo de Túnis para entender o caso e buscar com quem Aoussaoui se relacionava no país. A mídia local destacou que alguns familiares do jovem já foram interrogados.

Ainda não se sabe a motivação do crime, mas o homem informou que agiu sozinho. Ele gritou palavras em árabe durante toda a ação até ser preso e levado para um hospital. Na noite de ontem, a "BFMTV" divulgou que um outro homem, de 47 anos, foi preso por suposta ligação com Aoussaoui. A França investiga o caso como terrorismo.

Além das três vítimas, incluindo uma brasileira, o ataque deixou outros feridos na Basílica de Notre-Dame.

O que se sabe até o momento é que o tunisiano chegou à Europa através de um barco de migrantes que desembarcou na ilha italiana de Lampedusa, em 20 de setembro, e que chegou na França no início de outubro.

Agora, os investigadores buscam entender os passos do jovem entre os dois países e quais as motivações do crime.

Internacional