PUBLICIDADE
Topo

Internacional

'Ao final do inverno, todos estarão vacinados, recuperados ou mortos', apela ministro da Alemanha

3.nov.2021 -  O ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn - Markus Schreiber/Pool/AFP
3.nov.2021 - O ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn Imagem: Markus Schreiber/Pool/AFP

Da BBC News Brasil

22/11/2021 19h34

O ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, fez uma declaração dura sobre a covid-19, em meio a uma preocupante expansão da doença no país.

"Ao final do inverno [no hemisfério norte], todos na Alemanha estarão vacinados, recuperados ou mortos", disse o ministro em entrevista coletiva na capital, Berlim.

A Alemanha está chegando a uma quarta onda de um surto de coronavírus: os casos estão aumentando rapidamente, a taxa de infecção está no nível mais alto desde o início da pandemia e muitos hospitais já estão cheios.

O país tem também uma das mais baixas taxas de vacinação da Europa Ocidental, com 68% da população totalmente imunizada.

Nas últimas 24 horas, ocorreram 30.643 novas infecções —7 mil a mais do que há uma semana.

Restrições mais duras estão sendo implementadas no país, como a proibição da entrada de pessoas não vacinadas em certos locais e o cancelamentos de alguns dos famosos mercados de Natal.

Spahn disse ser contra tornar as vacinas contra a covid-19 obrigatórias, mas colocou que imunizar-se é uma "obrigação moral", já que isto afeta outras pessoas.

"Liberdade significa assumir responsabilidades, e é um dever com a sociedade ser vacinado", afirmou o ministro alemão.

Ele acrescentou que a altamente contagiosa variante Delta está impulsionando a recente onda e que "quem não for vacinado ficará, nos próximos meses, infectado e sem proteção."

Na entrevista coletiva, Spahn chamou a vacina da Moderna, feita nos Estados Unidos, de "Rolls-Royce" das vacinas, um estímulo para evitar que a alta demanda pelas doses de Pfizer/BioNTech produzidas no país acabe levando ao esgotamento dos estoques. Segundo ele, 16 milhões de doses da Moderna podem expirar nos próximos meses se não forem usadas.

Desde o início da pandemia, mais de 99 mil pessoas morreram na Alemanha pela covid-19, e um total de 5,4 milhões de pessoas foram infectadas com o coronavírus.

Internacional