Milhões de dólares do Estado Islâmico foram destruídos em ataques, dizem EUA

Yeganeh Torbati

Em Washington

Ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos contra locais de armazenamento de dinheiro do Estado Islâmico custaram ao grupo militante centenas de milhões de dólares, disse um porta-voz dos militares norte-americanos nesta quarta-feira (17).

Os EUA tentam cortar a renda do Estado Islâmico, que, acredita-se, é um dos mais bem financiados grupos militantes do mundo, por intermédio de ataques aéreos contra a sua produção de petróleo e também contra locais de armazenamento de dinheiro.

Autoridades norte-americanas acreditam que o grupo radical sunita é mais dependente de dinheiro vivo, uma vez que o seu acesso ao sistema bancário formal foi reduzido por sanções e outras medidas.

O coronel Steve Warren, um porta-voz da ofensiva militar liderada pelos EUA contra o Estado Islâmico, disse que os ataques aéreos contra locais de armazenamento e coleta de dinheiro já destruíram centenas de milhões de dólares. Ele não quis dar uma estimativa mais precisa de quanto foi destruído.

Desde meados de janeiro, a coalizão liderada pelos EUA havia atacado dez pontos de armazenamento e distribuição de dinheiro do Estado Islâmico no Iraque e na Síria, disse no mês passado Warren.

Além de vender petróleo extraído de território sob o seu controle, o Estado Islâmico também tem conseguido recursos por cobrança de taxas, venda de antiguidades e ataques contra bancos no seu território, disseram as autoridades norte-americanas.

EI existe há mais de 10 anos e foi rejeitado pela Al Qaeda; saiba mais

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos