Conteúdo publicado há 2 meses

Biden vence primária democrata em New Hampshire mesmo sem ter nome na cédula

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ganhou um voto inusitado dos democratas nas eleições primárias de New Hampshire na terça-feira, uma importante demonstração de força política, apesar de seu nome não constar da cédula de votação.

A Edison Research projetou Biden como vencedor em relação a dois democratas cujos nomes estavam de fato na cédula — o deputado Dean Phillips, de Minnesota, e a escritora de autoajuda Marianne Williamson.

A vitória do presidente foi o produto final de uma fervorosa campanha orquestrada pelos democratas de New Hampshire, irritados com a decisão da direção nacional do Partido Democrata de realizar a primeira primária nacional para definição do candidato do partido à Casa Branca na Carolina do Sul, um Estado mais diverso.

"Quero agradecer a todos aqueles que escreveram meu nome esta noite em New Hampshire. Foi uma demonstração histórica de compromisso com nosso processo democrático", disse Biden em um comunicado.

Em uma festa realizada pelos organizadores da campanha, algumas pessoas da plateia vaiaram quando os oradores observaram que a orgulhosa tradição de New Hampshire de ser o primeiro Estado a examinar os candidatos democratas havia sido encerrada pelo Comitê Nacional Democrata.

Mas o público aplaudiu diante dos primeiros sinais de que Biden se sairia bem.

Matt Wilhelm, um deputado estadual democrata, disse que a campanha foi "certamente não convencional", mas eficaz.

"Juntos, enviamos uma mensagem clara de que vamos lutar por nossa democracia, vamos lutar por nossas liberdades fundamentais e vamos lutar para reeleger Joe Biden em novembro", disse ele.

Biden teve cerca de 68% dos votos, com 40% dos votos por escrito contados, enquanto Phillips teve cerca de 20%.

Continua após a publicidade

O democrata de 55 anos havia dito nos dias que antecederam o dia da primária que continuaria sua campanha. Ele argumentou que Biden é fraco e vulnerável a uma derrota pelo provável candidato republicano, Donald Trump.

Na festa realizada pela campanha de Phillips em Manchester, o parlamentar parabenizou Biden, mas disse que "de forma alguma ele venceu da maneira que um presidente em exercício forte deveria vencer".

Ele também parabenizou Trump por vencer a primária do Partido Republicano no Estado.

Uma declaração da campanha de Biden não fez menção à campanha na primária em New Hampshire, ao mesmo tempo que tratou da eleição presidencial de novembro.

"Enquanto trabalhamos para novembro de 2024, uma coisa está cada vez mais clara hoje: Donald Trump está indo direto para um confronto nas eleições gerais, onde enfrentará a única pessoa que já o derrotou nas urnas: Joe Biden", diz a declaração.

Biden havia apoiado a iniciativa da direção nacional democrata de transferir sua primeira eleição primária para a Carolina do Sul.

Continua após a publicidade

A força de sua vitória em New Hampshire deverá ser tema de debate entre seus rivais.

Com a indicação de Trump pelo Partido Republicano aparentemente iminente, a campanha de Biden anunciou que dois dos principais assessores do presidente, Mike Donilon e Jen O'Malley Dillon, deixarão a Casa Branca para ocupar cargos em sua campanha à reeleição no próximo mês. A medida foi tomada após críticas de alguns democratas de que a campanha precisava de uma sacudida.

Deixe seu comentário

Só para assinantes