PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Indonésia: erupção do vulcão Semeru deixa rastros de destruição na ilha de Java

Indonésia: Erupção de vulcão provoca mortes e destruição

05/12/2021 07h19Atualizada em 05/12/2021 11h11

Pelo menos 14 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas após a erupção do vulcão Semeru, na ilha de Java, na Indonésia. Hoje, as equipes de resgate ainda tentavam encontrar sobreviventes da tragédia. O vulcão entrou em atividade por volta das 15h no horário local, provocando pânico nos habitantes que vivem nos vilarejos das redondezas. A região em torno da cratera está rodeada de uma espessa camada de cinzas.

Cerca de dez pessoas que não conseguiram fugir da erupção ficaram bloqueadas dentro de uma mina, mas foram evacuadas do local, de acordo com Abdul Muhari, porta-voz da Autoridade Nacional para a Gestão de Desastres. A equipe de resgate se mobilizou para retirar os moradores antes do avanço da lava.

Em algumas áreas, os moradores tinham dificuldades para se locomover, por conta da quantidade de detritos e da lava fria, que chegava nos joelhos e destruiu a ponte Lumajang, que permitia o acesso à área, atrapalhando o resgate das vítimas. Em outras cidades, os moradores entraram em pânico e fugiram, de acordo com as autoridades. "Muitas áreas foram deixadas na escuridão. Estamos construindo abrigos em várias áreas de Lumajang", acrescentou.

A erupção deixou pelo menos 57 feridos, 41 deles vítimas de queimaduras. Os habitantes foram pegos de surpresa no sábado. Vídeos publicados nas redes sociais mostram os moradores correndo da nuvem de cinzas que avançava rapidamente.

Pelo menos 11 vilarejos do distrito de Lumajang foram cobertos por uma espessa camada de cinzas, que soterrou casas e matou animais. Cerca de 900 pessoas tiveram que procurar abrigo em refúgios e mesquitas para passar a noite. As evacuações foram temporariamente suspensas neste domingo por conta da temperatura das cinzas, o que dificulta o resgate, de acordo com o canal local Metro TV.

As chuvas também podem provocar desabamentos de lama quente, espalhando cinzas e destroços. Pelo menos sete pessoas ainda estão desaparecidas, de acordo com o porta-voz da polícia de Lumajang, Adi Hendro. "Há sinais de vida, como luzes, que podem vir de telefones celulares", disse. "Não podemos mais acessar o local, porque o chão ainda está muito quente, nem garantir a segurança das nossas equipes", disse.

Desolação

Um vídeo compartilhado pelos bombeiros mostra tetos de casas e palmeiras que emergem das cinzas e cobrem todo o chão. As autoridades pediram aos habitantes que não se aproximassem a menos de cinco quilômetros da cratera porque o ar saturado de poeira é perigoso para pessoas com problemas de saúde. O governo enviou alimentos, máscaras e sacos mortuários à região. O monte Semeru, o mais alto da ilha de Java, tem 3.676 metros.

O vulcão estava no segundo nível de alerta mais alto desde a grande erupção que ocorreu em dezembro de 2020, que obrigou milhares de pessoas a fugir. O arquipélago indonésio está localizado no "Círculo de Fogo" do Pacífico, com quase 130 vulcões ativos devido à fusão das placas continentais. No final de 2018, a erupção de um vulcão no estreito entre as ilhas de Java e Sumatra causou um terremoto subaquático seguido de um tsunami que deixou mais de 400 mortos.

(RFI e AFP)

Internacional