Para especialista, STF indica que réus do mensalão poderão ser presos em setembro

Do UOL, em São Paulo

Convidado pelo UOL a fazer uma análise da terceira sessão de julgamento dos recursos do mensalão, realizada nesta quarta-feira (21) em Brasília, o editor do site Migalhas, Miguel Matos, afirma que é possível que os réus que tiverem todos seus recursos rejeitados sejam presos em breve, no mês que vem.

Nesta quarta, as apelações de três ex-dirigentes do Banco Rural foram negadas por unanimidade. Também foram rejeitados os recursos do ex-deputado federal Bispo Rodrigues, que motivaram a briga entre o presidente da Corte e relator do processo, Joaquim Barbosa, e Ricardo Lewandowski.

RECURSOS DO MENSALÃO

  • Arte/UOL

    Clique na imagem e saiba como cada ministro votou nos recursos dos réus

Conforme explicou o especialista, no julgamento de outro processo, também na sessão de hoje, os ministros entenderam que é possível exigir a prisão do réu após o julgamento de todos os embargos.

A tese foi defendida pelo ministro Luis Roberto Barroso e também pelo presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa. Barroso disse que é preciso acabar com a história de que o processo legal não termina nunca, que há uso de recursos de maneira protelatória. "Em caso de abuso, se encerre [o processo]", defendeu.

O presidente do STF disse que o sistema nesse aspecto tem "natureza cacofônica", que é um "sistema patético".
 
"Os ministros, exceto Marco Aurélio, entenderam que sim: terminados os embargos, nos casos de decisão unânime, os ministros vão imediatamente expedir mandados de prisão. Ou seja, mês que vem nós vamos ter réus do mensalão presos", disse Matos.
O julgamento do mensalão no STF
O julgamento do mensalão no STF

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos