Topo

CarnaUOL

Blocos de rua


Com sensação térmica de mais de 46ºC, Preta Gil celebra dez anos de bloco

Um mar de gente acompanhou  o Bloco da Preta, no centro do Rio de Janeiro - Fernando Maia/Riotur
Um mar de gente acompanhou o Bloco da Preta, no centro do Rio de Janeiro
Imagem: Fernando Maia/Riotur

Lola Ferreira

Colaboração para o UOL, no Rio

24/02/2019 18h26

Na comemoração de uma década lotando as ruas do Rio de Janeiro com seu Bloco da Preta, a cantora Preta Gil literalmente ferveu o centro da cidade. A cantora driblou o sol forte -a sensação térmica era de 46,8°C- e manteve um cortejo animado por quatro horas no centro da cidade, contando com amigos, familiares e várias participações estreladas.

Com o tema festa, a cantora subiu ao trio com um figurino que fazia alusão a um bolo, enquanto seus convidados estavam fantasiados de presente, buquê de flores e até balões.

Ao final do bloco, a cantora comentou que, para o próximo ano, fará um apelo para a prefeitura trocar o horário do desfile para o turno da tarde. "É um calor absurdo, não é saudável para ninguém. Para o público, então, é ainda mais difícil. As pessoas pulam e podem nem saber que estão passando mal. Quando param, podem desmaiar", comentou, preocupada.

Uma avaliação positiva que a cantora fez do décimo ano de bloco foi em relação ao policiamento e, consequentemente, menos ocorrências de brigas. A reportagem do UOL observou que, diferentemente dos últimos anos, havia dezenas de policiais em todo o cordão de isolamento, bem como espalhados pelo cortejo. 

Preta Gil foi vestida de bolo, pelos dez anos de seu bloco - Douglas Shineidr/UOL
Preta Gil foi vestida de bolo, pelos dez anos de seu bloco
Imagem: Douglas Shineidr/UOL

Depois de uma década, já é possível fazer uma avaliação do que mudou desde o primeiro desfile e o que permanece igual.

"O amor pela minha cidade, pelo Carnaval e a vontade de unir as pessoas e fazer uma ponte entre elas e entre os ritmos continua. Mas hoje eu sou avó, tenho uma neta, já estou mais velha. Isso muda. Talvez há dez anos eu não passasse mal, mas hoje eu já senti", ressaltou. Preta se sentiu mal e passou a fazer o show embaixo de um guarda-sol. Em nenhum momento, porém, largou o microfone.

Francisco Gil, filho da cantora, apresentou-se pela primeira vez no bloco. Emocionada, Preta Gil comentou: "Ele é o herdeiro do bloco quando eu envelhecer".

Apesar da brincadeira, a cantora afirmou que ainda pretende comandar muitos Carnavais - e com o filhão do lado, claro. "Acredito muito nesta festa. Isso é cultura, arte e humanidade. Ninguém pode tirar isso do povo."

Preta Gil com Ludmilla, que foi fantasiada de palhaço - Douglas Shineidr/UOL
Preta Gil com Ludmilla, que foi fantasiada de palhaço
Imagem: Douglas Shineidr/UOL
Festa para todos

O público diverso começou a concentração do bloco por volta das 9h de hoje, em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, no centro da cidade. Para animar os foliões, muito funk carioca enquanto a dona da festa não chegava. 

Uma das marcas registradas do Bloco da Preta é o repertório diverso: axé, funk, samba, pagode, samba-enredo, pop e MPB embalam as quatro horas de desfile. Na comemoração do décimo ano do bloco não foi diferente. Subiram ao palco e deram uma palhinha Luísa Sonza, MC G7, Ludmilla e Lellezinha. Esta, inclusive, mostrou empolgação por estar pela primeira vez no trio de Preta Gil e empolgou o público com o sucesso "Oi, Sumido". 

No repertório, Preta também cantou sucessos de Gloria Groove, Pabllo Vittar, Ivete Sangalo e Daniela Mercury. 

Corte de famosos 

Se a dona da festa é vista como uma rainha, não poderia deixar de ter sua corte. Antes de subir no trio, Preta reuniu amigos em um hotel com visão panorâmica da cidade. Entre os convidados, Carolina Dieckmann, que é madrinha do bloco desde o primeiro desfile, Duh Marinho, o primeiro DJ com Preta no trio e Fernanda Paes Leme, uma das madrinhas de casamento da cantora.

Também estavam presentes Gominho, que é o Rei Momo, Luana Xavier, uma das musas do bloco, e Laura Fernandes, nora de Preta e rainha de bateria do bloco.

Neste ano, o Bloco do Preta não pode fazer parte do seu trajeto por orientação do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), devido aos prédios históricos que estão nas ruas do centro. Pessoalmente, Preta conta que ficou sentida por gostar mais do trio andando do que parado.

Ao final do trajeto, Preta agradeceu aos fãs e destacou a importância deste momento na sua cidade natal. "Eu passo o ano inteiro esperando este momento chegar. Obrigada, meu Rio. Eu sou carioca com muito orgulho!", afirmou antes de desligar o som.

Mais Blocos de rua