PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

General Santos Cruz critica fala do ministro Pazuello sobre obediência

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, diagnosticado com covid-19, sem máscara ao lado do presidente Jair Bolsonaro durante transmissão ao vivo - Reprodução/Facebook
O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, diagnosticado com covid-19, sem máscara ao lado do presidente Jair Bolsonaro durante transmissão ao vivo Imagem: Reprodução/Facebook
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

23/10/2020 22h37

Na mais clara crítica a um militar integrante do governo desde que foi exonerado da Secretaria de Governo da Presidência, o general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz fez hoje comentário sobre o posicionamento de seu colega da ativa, o general Eduardo Pazuello.

Em postagem no Twitter, sem citar o nome, Santos Cruz corrigiu a fala do ministro da Saúde, que ontem foi desautorizado por Jair Bolsonaro. O presidente desfez o acordo que Pazuello tinha firmado para a compra de vacinas produzidas em conjunto por uma indústria chinesa e o Instituto Butantan.

"HIERARQUIA E DISCIPLINA, na vida militar e civil, são princípios nobres. Não significam subserviência e nem podem ser resumidos a uma coisa "simples assim, como um manda e o outro obedece" ... como mandar varrer a entrada do quartel", escreveu Santos Cruz.

Em vídeo veiculado ontem nas redes sociais, Pazuello aparece ao lado de Bolsonaro desmentindo que estivesse de saída do governo, desgostoso com a decisão do presidente de anular o acordo que tinha feito com o governador de São Paulo, João Doria.

"Senhores, é simples assim: um manda e o outro obedece", resumiu o general-ministro.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.