PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

Santos Cruz reage à fala de Bolsonaro sobre Forças Armadas: "Covardia"

General Santos Cruz  - REUTERS/Adriano Machado
General Santos Cruz Imagem: REUTERS/Adriano Machado
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

19/01/2021 04h00Atualizada em 19/01/2021 15h34

O general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz, que foi ministro da Secretaria de Governo de Jair Bolsonaro, reagiu com indignação à declaração do presidente sobre o poder dos militares de definir se um país será democrático ou não. "Quem decide se um povo vai viver numa democracia ou numa ditadura são as suas Forças Armadas", disse Bolsonaro.

Procurado pela coluna, Santos Cruz ressalvou que fala apenas em seu próprio nome. Em seguida, fez críticas duras ao comentário presidencial.

"Só posso dizer que isso é covardia com a população e com as Forças Armadas, que trabalham e se dedicam às suas atividades, à defesa do Brasil e em auxílio à população em todos os momentos de necessidade, sempre dentro da lei", afirma o general.

Para Santos Cruz, com essa afirmação a seus apoiadores, Bolsonaro procura novamente forçar a politização indevida dos militares.

"Isso é mais uma tentativa de enganar a população e arrastar as Forças Armadas para o centro de discussões políticas", acredita.

Em sua fala de ontem, o presidente disse também que "no Brasil, temos liberdade ainda". E completou, em tom de ameaça: "Se nós não reconhecermos o valor desses homens e mulheres que estão lá, tudo pode mudar".

O general discorda radicalmente dessa avaliação: "A garantia da liberdade e da democracia são instituições fortes. O que enfraquece a democracia é o desprestígio e aparelhamento político das instituições".