PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Foto de Ernesto Araújo no papel de James Bond vira chacota entre diplomatas

Capa da revista em que Ernesto Araújo posa de James Bond - Reprodução de internet
Capa da revista em que Ernesto Araújo posa de James Bond Imagem: Reprodução de internet
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

04/02/2021 09h54

Desde ontem, o principal assunto nos grupos de WhatsApp dos diplomatas do Itamaraty é a foto em que o chanceler Ernesto Araújo aparece como o personagem James Bond, o famoso 007.

A imagem está na capa da revista digital bolsonarista A Verdade. A matéria que motivou a foto tem o título de "Missão Brasil". Segundo o subtítulo, "em um dos momentos mais difíceis da humanidade, Ernesto Araújo é o homem certo no lugar certo para defender os interesses do Brasil".

A coluna enviou mensagem ao Ministério das Relações Exteriores perguntando a Araújo se a foto é real ou montagem, e se o ministro concorda com a divulgação da imagem. O departamento de comunicação da pasta respondeu em parte: "A foto é obviamente uma montagem e de inteira responsabilidade da revista". Não se sabe, no entanto, se Araújo aprova ou não a montagem.

Nos grupos de diplomatas a imagem é motivo de chacota e críticas. O embaixador Paulo Roberto de Almeida postou a capa da revista em sua timeline no Facebook, com o seguinte comentário: "Mamãe, haverá garoto mais ridículo que eu?".

A revista digital onde aparece a foto pertence ao "Jornal da Cidade Online", veículo alinhado com os bolsonaristas. O jornal já foi condenado e é alvo de ações na Justiça por publicação de notícias falsas ou distorcidas e ataques a personalidades ligadas à política.

Por esse motivo, enfrentou campanha do grupo Sleeping Giants Brasil, que atua contra fake news, e perdeu muitos anunciantes.