PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deputado quer impeachment de Cláudio Castro por operação no Jacarezinho

Governador Cláudio Castro (PSC) - Rogerio Santana/Governo do Rio de Janeiro
Governador Cláudio Castro (PSC) Imagem: Rogerio Santana/Governo do Rio de Janeiro
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

08/05/2021 11h14

O deputado federal David Miranda (PSOL-RJ) anunciou que vai pedir na segunda-feira o impeachment do governador do Rio, Cláudio Castro (PSC). A acusação é de crime de responsabilidade por Castro ter descumprido decisão do ministro Edson Fachin que proibiu incursões policiais nas favelas cariocas sem autorização do Supremo tribunal Federal. Operação da polícia no Jacarezinho, na quinta-feira, 6, resultou na morte de 28 pessoas.

Miranda vai alegar na petição que o crime do governador foi agravado porque ele permitiu que a presença dos policiais na comunidade se estendesse por quase 10 horas ininterruptas. Segundo o deputado, que nasceu e cresceu no Jacarezinho, a escalada de mortes demonstra falta de controle dos mandantes e agentes.

Diz um trecho do documento: "Não se pode perder de vista que além de um policial morto, foram contabilizadas outras 24 mortes, sendo que, dos mandados de prisão, tratados como justificativa da operação, apenas 3 foram cumpridos e outros 3 procurados foram mortos, ou seja, foram mais de 8 mortes para cada mandado de prisão cumprido, números que atestam a responsabilidade de quem manteve a operação em curso por quase 10 (dez) horas ininterruptas".

A petição, que se baseia no Artigo 4º da Constituição Federal, será protocolada na Assembleia Legislativa na segunda-feira ao presidente da Casa, deputado André Ceciliano (PT). Além do impeachment, Miranda pede que Castro tenha os direitos políticos suspensos por cinco anos.