PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Evento pró-Bolsonaro: sorteio de moto agrava desavença entre apoiadores

Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

11/06/2021 04h00

Continua ruim o clima entre integrantes dos principais moto clubes paulistas e o organizador da 'motociata' em apoio a Jair Bolsonaro, que acontece amanhã em São Paulo. Um dos maiores pontos de discórdia é a forma usada para atrair público. O pastor Jackson Villar promete sortear "uma linda moto" aos participantes do evento, denominado "Acelera pra Cristo". Tanto o sorteio quanto o cadastramento exigido para os pilotos que forem à 'motociata' são motivos de críticas.

Cezar Augusto Oliveira, conhecido como Cezinha, do moto clube Carpe Diem, explica as causas da contrariedade. "Nos dois eventos realizados em Brasília e no Rio o movimento foi espontâneo dos motociclistas", comentou à coluna. "De repente alguém aparece encabeçando esse movimento como se fosse motociclista, ainda oferecendo sorteio de uma 'linda moto' e induzindo a pessoa que quer participar a preencher um formulário".

Cezinha refere-se ao cadastramento proposto no site de Jackson Villar, que pede várias informações dos interessados em participar do evento. "Esses dados, e-mail, CPF... isso é uma coisa séria, qual a finalidade dessas informações?", questiona. "Considerando a Lei Geral de Proteção de Dados, quem guarda dados de terceiros deve justificar. Muito temerária essa situação".

A coluna procurou Villar para saber se o sorteio promovido por ele tem o registro obrigatório no Ministério da Economia e qual o objetivo de coletar os dados dos participantes, mas até a publicação desse texto não obteve resposta.

Cadastro de motociata de Bolsonaro - Reprodução - Reprodução
Reprodução do cadastro no site da 'motociata' de Bolsonaro
Imagem: Reprodução

Jackson Villar é criticado por participantes dos moto clubes e acusado de ser alguém de fora do meio que quer apenas se aproveitar da classe e da popularidade de Bolsonaro para se promover.

"Estão usando a nossa força, a nossa irmandade para autopromoção", escreveu Helier Barros, do moto clube Cupim de Aço, em sua página no Facebook. "Essa motociata está sendo explorada por comerciantes que sabem do poder do motociclismo, porém não conhecem nada do meio", publicou Silvio Neves, do moto clube Dose Brutal, na mesma plataforma.