PUBLICIDADE
Topo

Chico Alves

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Luís Miranda defende CPI: 'Salvamos Brasil do prejuízo de R$ 1,6 bilhão'

Luis Miranda chora ao falar de fim da contrato entre Precisa e fabricante da Covaxin - Reprodução/Facebook
Luis Miranda chora ao falar de fim da contrato entre Precisa e fabricante da Covaxin Imagem: Reprodução/Facebook
Chico Alves

Chico Alves é jornalista, por duas vezes ganhou o Prêmio Embratel de Jornalismo e foi menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Foi editor-assistente na revista ISTOÉ e editor-chefe do jornal O DIA. É co-autor do livro 'Paraíso Armado', sobre a crise na Segurança Pública no Rio, em parceria com Aziz Filho.

Colunista do UOL

19/10/2021 04h00

Responsável pela principal denúncia de corrupção na compra de vacinas pelo governo federal, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) se considera satisfeito com o trabalho da CPI da Covid, que está chegando à reta final. "O esquema de corrupção atrasou o atendimento da população e milhares de vidas foram perdidas", comentou Miranda à coluna. "Talvez os brasileiros jamais soubessem a verdade sem a CPI".

Ele não concorda com as críticas feitas ao trabalho da comissão. "Tem gente que é contra o Renan Calheiros (MDB-AL) e faz críticas por causa disso. Mas a CPI levantou provas que a Procuradoria-Geral da República não pode ignorar. Acredito que alguns vão pagar o preço por terem brincado com a saúde dos brasileiros", afirma o deputado.

A informação dada na CPI sobre o alerta que Miranda fez ao presidente Jair Bolsonaro sobre as negociatas no Ministério da Saúde foi confirmada, segundo matéria publicada no jornal O Globo. O ajudante de ordens do presidente, capitão de corveta da Marinha Jonathas Diniz Vieira Coelho, disse em depoimento à Polícia Federal que, em março deste ano, o deputado enviou mensagens pedindo que avisasse a Bolsonaro sobre "um esquema de corrupção pesado".

Referia-se à negociata para aquisição da vacina Covaxin, que acabou sendo detalhada na comissão. "Salvamos o Brasil do prejuízo de R$ 1,6 bilhão, o resto é história de corrupto e ponto final. Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará", ironiza ele.

Para alguns senadores, o fato de o presidente Bolsonaro não ter encaminhado a denúncia do deputado ao órgão adequado - a Polícia Federal - pode configurar prevaricação.

Ele cita também outras "descobertas" da comissão. "Se não fosse a CPI, jamais saberíamos que a invoice (nota fiscal internacional) utilizada pelo ministro Onyx Lorenzoni para ameaçar a mim e meu irmão era falsa", acredita.

As denúncias que fez levaram Miranda a responder processo na Conselho de Ética da Câmara por quebra de decoro. Também foi muito atacado nas redes sociais. Apesar disso, diz não se arrepender de nada: "Fiz o que tinha que ser feito. Contra a corrupção, sempre vale a pena".