PUBLICIDADE
Topo

Relator de processo contra Eduardo grava com Bolsonaro e agradece verba

Constança Rezende

É colunista do UOL em Brasília. Passou pelas redações do Estadão no Rio de Janeiro, O DIA e Jornal do Commercio.

Colunista do UOL

23/06/2020 18h05Atualizada em 23/06/2020 19h22

O relator do processo contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, deputado Igor Timo (Podemos-MG) gravou, na última sexta-feira (19), um vídeo com presidente Jair Bolsonaro (sem partido), agradecendo-o pela liberação de verbas para o seu estado.

Na publicação, que foi divulgada nas redes sociais do deputado, Timo agradece ao presidente pelo repasse de R$ 2,96 bilhões para Minas Gerais destinados a ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Segurando uma planilha da Secretaria de Governo (Segov), o deputado diz sorridente que os valores vão beneficiar municípios da sua "região", o Vale do Jequitinhonha, e elogia o "belíssimo trabalho" de Bolsonaro.

"Olá, meus amigos de Minas Gerais. Estou aqui hoje, ao lado do nosso queridíssimo presidente Jair Messias Bolsonaro, e vim aqui hoje exclusivamente para agradecê-lo. Aproximadamente, aproximadamente não, precisamente R$ 2,96 bilhões liberados para o nosso querido estado", diz o deputado, enquanto o presidente ouve com um semblante sério.

Timo acrescenta que "teve a oportunidade" de divulgar essas informações para quase todas cidades de Minas e que pretende chegar aos 853 municípios "demonstrando a transparência que o governo federal quer com esse recurso, que é justamente com o enfrentamento ao corona".

"Nós sabemos, presidente, que é muito importante ter transparência com recurso público, e eu tenho tentado levar ao conhecimento de todos que esse recurso é oriundo do um belíssimo trabalho que o senhor tem feito à frente do nosso país. Estou aqui para agradecer, em nome de todos mineiros, em especial a nossa região, que é uma das mais carentes do país, que é o Vale do Jequitinhonha", disse.

O deputado também mostra peças de publicidade, conhecidas como "santinhos", com a sua foto, os nomes de municípios de Minas, e o valor que cada um vai receber.

Em seguida, Bolsonaro também agradece o deputado por "levar a verdade e a transparência para essa região de Minas, que é tão importante para todos nós".

"É a verdade acima de tudo, e você tá fazendo um brilhante trabalho como parlamentar aqui, que eu te conheço há algum tempo. Boa sorte a você, aos amigos conterrâneos, que agora eu me considero de Juiz de Fora, grande abraço a vocês, e muito obrigada pela confiança", disse o presidente.

O vídeo foi gravado um dia após a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), em Atibaia (SP), na investigação sobre suposta prática de rachadinha no gabinete do filho mais velho do presidente, então deputado na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio).

Processo parado há seis meses

O processo contra Eduardo Bolsonaro do qual Timo é relator está parado Conselho de Ética da Câmara dos Deputados há seis meses. O caso trata das declarações do deputado de que a resposta do governo a uma suposta radicalização da esquerda seria a volta do AI-5, ato que marcou o início do período mais duro da ditadura militar (1964-1985).

Timo foi escolhido relator do caso em 5 de dezembro de 2019 e até hoje não apresentou o seu parecer no processo. A punição a Eduardo pode ser desde advertência até a cassação do mandato.

Procurada, a assessoria do deputado respondeu ao UOL que o parlamentar "mantém a imparcialidade no tratamento dos fatos e que essa tratativa não interfere nos trabalhos em que ele está à frente na Câmara".

"O deputado destaca ainda, que atua com ética e transparência e que os agradecimentos foram feitos apenas como reconhecimento da parceria do Governo Federal, neste momento delicado que Minas Gerais passa, devido a curva ascendente do Coronavírus. Tanto no julgamento do processo do deputado Eduardo Bolsonaro, ao qual Igor Timo é o relator, quanto nas relações com o executivo Federal, o parlamentar atual de forma imparcial", disse a assessoria, por meio de nota.

Sobre a demora no processo de julgamento do filho do presidente, a assessoria de Igor Timo afirmou que se trata de "uma iniciativa que cabe ao presidente do Conselho de Ética, e não ao relator do caso".

O presidente da comissão, porém, depende da apresentação do relatório de Timo, segundo informou a secretaria do conselho, para marcar o julgamento, após a volta dos trabalhos, suspensos por conta da pandemia.