PUBLICIDADE
Topo

Luciano Huck contrata fundadora do Sou da Paz para consultoria 'cívica'

Luciana Guimarães (superintendente da Fundação Bienal de São Paulo) - Mathilde Missioneiro-27.dez.2019/Folhapress
Luciana Guimarães (superintendente da Fundação Bienal de São Paulo) Imagem: Mathilde Missioneiro-27.dez.2019/Folhapress
Diogo Schelp

Diogo Schelp é jornalista com 20 anos de experiência. Foi editor executivo da revista VEJA e redator-chefe da ISTOÉ. Durante 14 anos, dedicou-se principalmente à cobertura e à análise de temas internacionais e de diplomacia. Fez reportagens em quase duas dezenas de países. Entre os assuntos investigados nessas viagens destacam-se o endurecimento do regime de Vladimir Putin, na Rússia, o narcotráfico no México, a violência e a crise econômica na Venezuela, o genocídio em Darfur, no Sudão, o radicalismo islâmico na Tunísia e o conflito árabe-israelense. É coautor dos livros ?Correspondente de Guerra? (Editora Contexto, com André Liohn) e ?No Teto do Mundo? (Editora Leya, com Rodrigo Raineri).

Colunista do UOL

28/09/2020 13h20

O apresentador de TV Luciano Huck, que ainda não se assumiu como presidenciável para 2022, conta agora com a assessoria de uma influente especialista em direitos humanos e questões sociais: a advogada Luciana Guimarães, uma das fundadoras do Instituto Sou da Paz, ONG com sede em São Paulo voltada para políticas de segurança pública. Ela também atuou como coordenadora da Juventude do município de São Paulo nas gestões de José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (então no PFL).

Luciana Guimarães era, até recentemente, superintendente executiva da Fundação Bienal de São Paulo. Ela deixou o posto este mês. Por meio da assessoria de imprensa do apresentador, Luciana informou que possui uma empresa de consultoria e que um de seus contratos atuais é "colaborar com o Luciano Huck na atuação dele nas frentes de engajamento cívico".

O Instituto Sou da Paz nasceu no final dos anos 90 como uma campanha pelo desarmamento e atualmente realiza pesquisas, estudos e manuais de boas práticas na área de segurança pública. Luciana Guimarães já foi diretora do instituto e agora integra os conselhos dessa e de outras organizações da sociedade civil, como a Artigo 19, dedicada a promover a liberdade de expressão, e a Poiesis, que gerencia espaços culturais em São Paulo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL