PUBLICIDADE
Topo

Jamil Chade

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Trombose tem "relação" com dose da AstraZeneca, diz agência europeia

Jamil Chade

Jamil Chade é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com passagens por mais de 70 países, o jornalista paulistano também faz parte de uma rede de especialistas no combate à corrupção da entidade Transparência Internacional, foi presidente da Associação da Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente com veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, France24, La Sexta e outros. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se.

Colunista do UOL

06/04/2021 07h02

Resumo da notícia

  • Declaração foi feita ao jornal italiano Il Messagero por parte de um dos chefes da Agência Europeia de Medicamentos
  • OMS aponta que benefícios da vacina são superiores aos riscos e que uso não deve ser interrompido
  • Abastecimento europeu não vem das mesmas fábricas que fornecem para o Brasil

Existe uma relação entre a vacina da AstraZeneca e coágulos sanguíneos registrados em algumas pessoas que se beneficiaram da dose do imunizante. A informação foi dada por Marco Cavaleri, chefe da estratégia de vacinação da Agência Europeia de Medicamentos, numa entrevista publicada na imprensa italiana nesta terça-feira.

A agência havia liberado em março o uso da vacina, mas indicava que novos estudos deveriam ser realizados.

"Agora podemos dizer, é claro que existe uma ligação com a vacina", disse Cavaleri ao jornal Il Messagero. Ele deixou claro que ainda não sabe o motivo dessa relação. A agência se reúne a partir de hoje para debater a situação das vacinas.

"O que causa essa reação, no entanto, ainda não sabemos", disse. "Para resumir, nas próximas horas diremos que existe uma ligação, mas ainda precisamos entender como ela acontece", disse Marco Cavaleri, chefe da estratégia de vacinas da Agência Européia de Medicamentos (EMA).

No mês passado, vários países europeus tinham anunciado a suspensão do uso da vacina, diante do registro de casos de trombose. Depois de uma investigação, a agência estimou que os benefícios da vacina eram superiores aos riscos que ela representava.

O mesmo posicionamento foi adotado pela OMS, que também insistiu que a vacinação com as doses da AstraZeneca não deveria ser interrompida.

No caso dos países europeus, o abastecimento não é o mesmo que é oferecido ao Brasil. O governo brasileiro importa as doses de fábricas na Índia e, em alguns casos, da Coreia do Sul.

No mês passado, a agência indicou que os problemas foram identificados em cerca de 30 pessoas, entre mais de 20 milhões de beneficiados. Segundo ainda a agência, de uma forma geral, cerca de mil pessoas desenvolvem tromboses pela Europa a cada mês. No caso das vacinas, a taxa é mais baixa do que se esperava.

Alerta foi incluído em perfil do produto

Já em março ficou estipulado que o público e médicos seriam informados dos riscos e dados serão explicados para que pessoas que possam desenvolver sintomas lidem rapidamente com o eventual risco.

A suspeita se referia ao surgimento de casos de coágulos de sangue em pessoas vacinadas. De acordo com a OMS, a vacinação contra a covid-19 "não reduzirá doenças ou mortes por outras causas". "Sabe-se que os eventos tromboembólicos ocorrem com frequência. O tromboembolismo venoso é a terceira doença cardiovascular mais comum em todo o mundo", explicou.