Conteúdo publicado há 3 meses
Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Relatório demonstra que PM matou, polícia não investigou e Tarcísio elogiou

Um relatório da ONG Human Rights Watch (HRW), que analisou 26 boletins de ocorrência e 15 laudos necroscópicos das mortes da Operação Escudo, no litoral de São Paulo, apontou falhas nas etapas iniciais das investigações de órgãos coordenados pela SSP (Secretaria da Segurança Pública).

Durante o programa Análise da Notícia, o colunista do UOL José Roberto de Toledo afirmou que o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) passou por uma vergonha internacional após o estudo da HRW.

É uma vergonha o que aconteceu. As mortes são uma vergonha porque foram vingança e muita gente que era trabalhadora foi vítima e a PM matou, a Polícia Civil fez uma investigação que não investigou nada, e o governador elogiou, dizendo que foram profissionais, antes de haver qualquer investigação sobre as 28 mortes. José Roberto de Toledo

A Operação Escudo tinha como finalidade vingar a morte do soldado Patrick, que foi morto no Guarujá. O relatório da HRW evidenciou que muitas pessoas inocentes foram mortas. Tarcísio não fez nada para coibir, e ainda há investigações em curso pelo Ministério Público para investigar as mortes.

Tarcísio passa vergonha porque o relatório mostra, e é cheio de evidências, que a Operação Escudo não foi escudo, foi Operação Vingança. O relatório da Human Rights Watch é devastador para a imagem do governador Tarcísio de Freitas. José Roberto de Toledo

A Operação Escudo, inclusive, ajudou Tarcísio a reverter uma tendência histórica durante seu governo. Havia uma tendência de queda no número de mortos pela polícia em São Paulo, que começou em 2020 e foi até 2022, em função de câmeras nas fardas dos policiais. Nos 10 primeiros meses de 2023, entretanto, a PM de São Paulo já matou mais pessoas do que em todo o ano de 2022.

A maioria das mortes [na Operação Escudo] não foi registrada pelas câmeras corporais dos policiais, que são obrigatórias, e em 19 das 28 mortes não há imagens. (...) Tarcísio reverteu uma tendência histórica graças a uma validação desse tipo de política e desse tipo de operação e também por não colocar o único elemento que tem alguma chance de coibir a violência policial, que é a câmera na farda. José Roberto de Toledo

Além da falta de registros, o relatório da HRW também apontou que a polícia civil não pediu perícias em todos os casos e, em alguns deles, alegou que estava chovendo muito. Também sumiram pedaços do inquérito policial e a cena do crime chegou a ser alterada em algumas ocasiões.

Tudo foi feito para realmente validar uma vingança que pegou gente que não tinha nada a ver com a história e a morte do soldado Patrick. Só estavam no lugar errado e tinham a cor errada. José Roberto de Toledo

Continua após a publicidade

***

O Análise da Notícia vai ao ar às terças e quartas, às 18h30.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja abaixo o programa na íntegra:

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes