Conteúdo publicado há 1 mês
Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

O que o aval ao 'puxadinho das igrejas' diz sobre o governo?

O colunista do UOL José Roberto de Toledo afirmou durante o programa Análise da Notícia que o governo não está agindo em sintonia e, por isso, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, sofre para fechar as contas. Um projeto que estende isenção tributária das igrejas para suas organizações assistenciais é prova disso.

Rui Costa faz acordo e o Haddad carrega a pedra. O Haddad consegue tapar um buraco e depois vem o 'puxadinho das igrejas', então não termina nunca o trabalho de fechar os buracos nas contas públicas. José Roberto de Toledo

Na última semana, a Bancada da Bíblia aprovou por unanimidade um projeto de emenda constitucional que estende a isenção tributária que as igrejas já possuem para as organizações assistenciais e beneficentes dessas mesmas igrejas. A aprovação em uma comissão especial na Câmara, inclusive, teve o aval do governo, que foi representado pela figura de Rui Costa, ministro da Casa Civil.

É um trem da alegria esse projeto, porque se for aprovado em Plenário, a emenda isentará de pagamentos de impostos todas as comunidades terapêuticas, as escolas, as creches, os asilos, os orfanatos, os conventos, os seminários e sabe-se lá mais o quê. Se o tempo ou a igreja quiser fazer um puxadinho, não vai pagar imposto sobre material de construção, por exemplo. José Roberto de Toledo

Antes da aprovação do projeto, deputados e representantes do governo se reuniram e, de acordo com apuração de Toledo, o ministério da Fazenda e Fernando Haddad sequer foram informados sobre a situação.

A Fazenda sequer foi consultada sobre essa história e isso é grave. Esse projeto foi apresentado pelo Marcelo Crivella (Republicanos-RJ), ex-prefeito do Rio de Janeiro e bispo licenciado da Igreja Universal, e ele disse que negociou diretamente com a Casa Civil os termos desta emenda constitucional. Não é que o espírito santo baixou, foi com a benção da Casa Civil, comandada pelo Rui Costa [que a emenda foi aprovada], e a Casa Civil aparentemente ignorou a Fazenda, que vai ter que fechar a conta. José Roberto de Toledo

Toledo destacou que diferentes áreas do governo acabam caminhando em direções contrárias e, por vezes, se contradizem.

O problema é que tem um lado do governo fechando pacto com Arthur Lira para aprovar a pauta econômica, que basicamente é diminuir despesas ou isenções tributárias, e aumentar receitas para equilibrar as contas e não ter déficit, e do outro lado a Casa Civil criando um outro rombo que ninguém nem sabe quanto é. José Roberto de Toledo

***

Continua após a publicidade

O Análise da Notícia vai ao ar às terças e quartas, às 13h e às 14h30.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja abaixo o programa na íntegra:

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deixe seu comentário

Só para assinantes