Conteúdo publicado há 1 mês
Josmar Jozino

Josmar Jozino

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Reportagem

Agentes penais federais entram em alerta em Rondônia após ataque do PCC

Uma tentativa de atentado a tiros contra um agente penitenciário federal em Porto Velho, na última segunda-feira (14), colocou toda a categoria em alerta em Rondônia. O alvo escapou ileso, e há indícios de que o ataque foi encomendado por presos ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital).

Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que um agente da Penitenciária Federal de Porto Velho escapou da ação terrorista no bairro Vila Tupy. Foram disparados de 10 a 14 tiros em direção a ele. O funcionário pretendia ir até uma padaria e conseguiu correr.

Um suspeito de envolvimento no crime foi preso 11 horas depois da emboscada. Os criminosos usaram dois carros na ação. Os veículos foram encontrados queimados. A Polícia Federal investiga a participação do PCC no ataque.

Carros usados em tentativa de atentado contra agente penitenciário federal em RO foram encontrados queimados
Carros usados em tentativa de atentado contra agente penitenciário federal em RO foram encontrados queimados Imagem: Sindicato dos Agentes Penitenciários Federais de Rondônia

Segundo um representante do Sindicato dos Agentes Penitenciários Federais de Rondônia, os funcionários do presídio de Porto Velho estão cautelosos e preparados para evitar novos atentados. A unidade prisional abriga líderes da maior facção criminosa do Brasil.

O sindicalista disse à reportagem que os agentes estão com a saúde mental abalada e precisam de cuidados psicológicos. "Muitos colegas estão doentes, mas com plenas condições de combater o crime organizado e ajudar a sociedade, como sempre fazem", contou.

O representante sindical acrescentou que faltam investimentos para valorizar a categoria e explicou que grande parte dos agentes mora em locais de risco. Ele afirmou também que os funcionários estão há um ano sem receber auxílio transporte e ainda não têm direito sequer ao adicional de fronteira.

De acordo com a PF, o PCC planeja matar agentes penais em represália à permanência dos chefes da facção em presídios federais. Três servidores já foram assassinados, sendo dois em Cascavel (PR) em 2 de setembro de 2016 e 25 de maio de 2017; e um em Mossóro (RN), em 12 de abril de 2017.

Outros atentados

No ano passado, a Polícia Federal frustrou outro ataque do PCC em Porto Velho. O plano da facção era cometer atentado contra um alvo do SPF (Sistema Penitenciário Federal), em 28 de janeiro. Agentes agiram rápido e salvaram a vida da vítima marcada para morrer um dia antes do atentado.

Continua após a publicidade

Os federais deflagraram em caráter de urgência a Operação Sicários e prenderam Evandro Robier Dias da Silva, 53, o Trombada, e Douglas Costa Alves de Souza, 27. Ambos acabaram transferidos para a Penitenciária Federal de Porto Velho.

A reportagem não conseguiu contato com os advogados de Evandro e Douglas, mas publicará na íntegra a versão dos defensores deles assim que houver uma manifestação.

As investigações tiveram início em 28 de agosto de 2020, quando um veículo Gol, branco, ocupado por dois homens, passou nas proximidades do presídio federal. Os suspeitos voltaram ao mesmo local no dia seguinte, mas dessa vez em um Gol vermelho.

O carro, com dois ocupantes, foi parado por policiais rodoviários federais. Um deles era Trombada, velho conhecido da polícia paulista. A dupla foi averiguada e liberada. Apontado como integrante do PCC, Trombada já cumpriu pena na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP), um forte reduto da facção.

Escuta ambiental no apartamento

Trombada, condenado por roubo e tráfico de drogas, estava solto desde 2018. Policiais federais apuraram que ele havia alugado um apartamento em um condomínio em Porto Velho. Com autorização judicial, os agentes passaram a monitorá-lo e colocaram até escuta ambiental no imóvel locado.

Continua após a publicidade

O apartamento, no entanto, ficou desocupado por um período. Mesmo assim, Trombada continuou pagando mensalmente o aluguel e ainda renovou o contrato de locação. Isso causou estranheza à Polícia Federal. Os agentes não deixaram de vigiar o imóvel.

Em 26 de março de 2021, surgiu um fato novo. Trombada e Douglas, agora ocupando um Citroën, foram abordados por policiais militares nos arredores da Penitenciária Federal de Porto Velho. Eles alegaram que iriam pescar e novamente foram liberados.

Os federais intensificaram a vigilância aos suspeitos. A PF descobriu que nos dias 23 e 24 de janeiro de 2023, o carro utilizado anteriormente pela dupla ficou parado durante várias horas nas proximidades do endereço do alvo do SPF marcado para morrer.

As interceptações telefônicas e telemáticas indicaram que a vítima escolhida para ser assassinada a mando do PCC seria atacada no dia 28 de janeiro. A PF desencadeou com urgência a Operação Sicários e prendeu Trombada e Douglas.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deixe seu comentário

Só para assinantes