PUBLICIDADE
Topo

Juliana Dal Piva

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Sem máscara, governador do Rio canta pagode em festa durante a pandemia

Juliana Dal Piva

Juliana Dal Piva é formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e possui mestrado pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas. Trabalhou nos jornais O Dia, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, O Globo e revista Época. Obteve oito premiações de jornalismo. Entre elas, o Prêmio Líbero Badaró de jornalismo impresso em 2014 e também foi menção honrosa do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. Em 2019, recebeu ainda o Prêmio Relatoría para la Libertad de Expresión (RELE) da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA, pelo trabalho "Em 28 anos, clã Bolsonaro nomeou 102 pessoas com laços familiares".

Colunista do UOL

31/03/2021 11h18

A festa na casa do governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), no último fim de semana não foi a única celebração que ele participou nesse período agudo da pandemia de covid-19 no Brasil. A coluna recebeu um vídeo que mostra Castro cantando, sem máscara, pagode romântico rodeado de pessoas há cerca de dois meses.

No último domingo (28), Castro fez uma celebração para comemorar seus 42 anos, em uma casa em Itaipava, na região serrana. A festa foi notada por vizinhos porque teria causado fila de 12 veículos na porta de uma casa. Após a divulgação de imagens que mostraram convidados sem máscara, o governador se desculpou. A coluna apurou que a casa em Itaipava tem sido um destino frequente do governador. Segundo interlocutores, ele tem ido quase todos os fins de semana com convidados para o local.

O vídeo a que a coluna teve acesso mostra Castro cantando a música "Domingo", do grupo de pagode Só Pra Contrariar, rodeado de mais pessoas com instrumentos musicais. Todos sem máscaras. O governador foi procurado para comentar o episódio. Ele confirmou, por meio de nota, que o vídeo foi gravado em janeiro deste ano e que, na época, "não havia medidas restritivas em vigor". Após enviar a primeira nota, a assessoria do governador enviou outra nota afirmando que o evento em que aparece cantando ocorreu em fevereiro e que o atual decreto restringindo várias atividades não estava em vigor. O evento em questão foi um jantar na casa do deputado estadual Max Lemos (PSDB).

Até o momento, mais de 36 mil pessoas morreram vítimas da covid-19 no Rio. A alta de casos da doença fez com que o estado adotasse um período de maiores restrições ao longo de 10 dias, em um esquema de antecipação de feriados para evitar que os números de casos sigam crescendo. A medida passou a valer desde a última sexta-feira (26) e segue em vigor até o dia 4 de abril.

O deputado Max Lemos disse que o evento foi um "jantar" e ocorreu na "varanda, um espaço amplo e arejado, e contou com todos os cuidados necessários, como álcool 70 disponível para os presentes, além da aferição da temperatura na entrada".

O governador chegou a resistir em endossar a medida, em alinhamento com o discurso do presidente Jair Bolsonaro que é contrário às medidas de restrição. A situação causou mal estar com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e também com deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Em relação à festa de aniversário, Castro disse que o evento em questão foi um almoço restrito aos familiares e não houve aglomeração. O governador em exercício também afirmou que quatro dos 12 veículos na porta do evento faziam parte da sua segurança pessoal.

Segundo o jornal O Globo, os celulares dos convidados tiveram que ficar na portaria para evitar registros e só podiam ser devolvidos na saída. Vizinhos também relataram música alta.

Embed s/ autoplay: