PUBLICIDADE
Topo

Em contraste com Trump, Biden pede que estados tornem máscara obrigatória

Joe Biden e Kamala Harris fazem primeira aparição juntos após nomeação de Kamala como vice de Biden - Olivier DOULIERY / AFP
Joe Biden e Kamala Harris fazem primeira aparição juntos após nomeação de Kamala como vice de Biden Imagem: Olivier DOULIERY / AFP
Kennedy Alencar

O jornalista Kennedy Alencar é correspondente e comentarista da rádio CBN em Washington. Começou sua carreira em 1990 na “Folha de S.Paulo”, onde foi redator, repórter, editor da coluna “Painel” e enviado especial às guerras do Kosovo e Afeganistão. É autor do livro “Kosovo, a Guerra dos Covardes” (editora DBA). Na RedeTV!, apresentou durante cinco anos o programa de entrevistas “É Notícia” e mediou os debates presidenciais de 2010 e municipais de 2012. Estreou como comentarista da rádio CBN em 2011. Criou o "Blog do Kennedy" em 2013. Trabalhou no SBT entre 2014 e 2017. É produtor-executivo e roteirista do documentário “What Happened to Brazil”, realizado para a BBC World News. Com uma versão em português intitulada “Brasil em Transe”, o documentário retrata a crise que começa nas manifestações de junho de 2013, passa pelo impacto da Lava Jato e do impeachment de Dilma na política e na economia e resulta na eleição de Bolsonaro.

Colunista do UOL

13/08/2020 15h59

Diante da resistência do presidente Donald Trump em assinar uma ordem executiva para tornar obrigatório nacionalmente o uso de máscaras em ambientes públicos, o candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, disse hoje que todos os governadores de estado dos EUA deveriam adotar a medida imediatamente para salvar 40 mil vidas nos próximos três meses.

Biden afirmou que cobrir o rosto não é uma questão pessoal, mas uma demonstração de "responsabilidade" em relação às outras pessoas. Logo, todos os americanos deveriam usar máscaras, no mínimo, por 90 dias, recomendou. O democrata já disse que, se eleito, ordenaria o uso obrigatório de máscaras em todo o país. "Esta é a América. Seja patriota. Proteja os seus concidadãos", afirmou Biden.

Em seguida, a candidata a vice-presidente na chapa democrata, a senadora Kamala Harris, afirmou que "verdadeira liderança no país" é o que Biden está fazendo ao defender publicamente o uso de máscara. Ou seja, ele prega uma medida que pode desagradar a muitos. Parte dos eleitores de Trump rejeita usar máscaras, alegando que se trata de um direito individual.

Biden e Harris se reuniram nesta quinta-feira com especialistas para discutir medidas de combate à covid-19. Fizeram rápido pronunciamento atacando um ponto fraco de Trump, a mistura de resistência e objeção do presidente ao uso de máscaras. Biden marca diferença importante: deixa claro que ouvirá os cientistas para enfrentar o coronavírus. Trump tem sido um negacionista que aprofundou os efeitos negativos da pandemia, como o presidente Jair Bolsonaro faz no Brasil.

Com dubiedade, Trump tem defendido o uso de máscaras, mas não aceitou recomendação de sua própria força-tarefa para obrigar todos no país a usarem a proteção. Ele diz que se trata de decisão dos governadores e que compreende resistências pessoais.

Governadores republicanos, como Ron DeSantis (Flórida) e Brian Kemp (Geórgia), não ordenaram o uso obrigatório de máscaras nos seus estados, apesar de os casos terem explodido por lá.

A campanha presidencial esquentou nesta semana, na qual Biden escolheu Harris para vice. Os dois demonstraram ontem no primeiro ato de campanha juntos. Hoje, fizeram mais uma jogada em dupla.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.