PUBLICIDADE
Topo

Kennedy Alencar

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Braga Netto precisa confirmar ameaça de golpe; Lira tem de abrir o que sabe

Braga Netto com Bolsonaro, em live tomando sopa em Brasília - Reprodução/Facebook
Braga Netto com Bolsonaro, em live tomando sopa em Brasília Imagem: Reprodução/Facebook
Kennedy Alencar

O jornalista Kennedy Alencar é correspondente e comentarista da rádio CBN em Washington. Começou sua carreira em 1990 na ?Folha de S.Paulo?, onde foi redator, repórter, editor da coluna ?Painel? e enviado especial às guerras do Kosovo e Afeganistão. É autor do livro ?Kosovo, a Guerra dos Covardes? (editora DBA). Na RedeTV!, apresentou durante cinco anos o programa de entrevistas ?É Notícia? e mediou os debates presidenciais de 2010 e municipais de 2012. Estreou como comentarista da rádio CBN em 2011. Criou o "Blog do Kennedy" em 2013. Trabalhou no SBT entre 2014 e 2017. É produtor-executivo e roteirista do documentário ?What Happened to Brazil?, realizado para a BBC World News. Com uma versão em português intitulada ?Brasil em Transe?, o documentário retrata a crise que começa nas manifestações de junho de 2013, passa pelo impacto da Lava Jato e do impeachment de Dilma na política e na economia e resulta na eleição de Bolsonaro.

Colunista do UOL

22/07/2021 08h05

O ministro da Defesa, Braga Netto, precisa vir a público e confirmar se enviou ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), uma ameaça de golpe caso o Congresso não aprove o voto impresso, como quer o presidente Jair Bolsonaro.

A informação da ameaça golpista foi publicada nesta quinta-feira pelo jornal "O Estado de S.Paulo". Segundo a reportagem, Braga Netto mandou o recado a Lira por meio de um interlocutor faz duas semanas.

A mensagem foi a seguinte, diz o jornal: "A quem interessar, diga que, se não tiver eleição auditável, não terá eleição".

Ora, interessa ao povo brasileiro saber se temos um ministro da Defesa golpista que fala em nome de comandantes militares golpistas para atentar contra a democracia e a Constituição.

Se sim, Braga Netto e seus cúmplices têm de ser demitidos, processados e presos. Num tuíte nesta manhã, disse bem o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB): "Muito importante que o Ministério da Defesa se manifeste imediatamente. Denúncia gravíssima. A democracia admite tudo, menos crimes que visam destruí-la".

Exatamente. A democracia admite tudo, menos crimes que visem destruí-la. Sempre é bom repetir isso no Brasil atual.

Flávio Dino reagiu à altura. É preciso que o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público Federal, a Ordem dos Advogados do Brasil, a imprensa e outras entidades da sociedade civil respondam com firmeza a esse golpismo de república de bananas.

O presidente da Câmara também precisa dar os seus esclarecimentos. É de interesse público descobrir quem é o interlocutor que dá recados ameaçando rasgar a Constituição e cancelar eleições.

Braga Netto não é burro. Finge ser ignorante como o chefe. Mas o ministro da Defesa sabe que a urna eletrônica é auditável. O Brasil tem um sistema seguro de votação. A tentativa bolsonarista de recriar o voto impresso tende a ser derrotada no Congresso.

Braga Netto e militares golpistas também sabem que Bolsonaro vai perder a eleição presidencial do ano que vem. Há inúmeros crimes comuns e de responsabilidade cometidos pelo presidente e seus ministros na tragédia sanitária que o Brasil vive, como já apurou a CPI da Covid. Existem suspeitas de "rachadona militar" nas compras de vacinas. E tem ainda o fantasma da "rachadinha" da família Bolsonaro.

Esse golpismo é tentativa de intimidar as instituições para que todos possam fugir da polícia. Essa turma compreendeu que vai ser difícil arrumar outra anistia para crimes de militares como aconteceu no fim da ditadura.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL