PUBLICIDADE
Topo

Madeleine Lacsko

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Jânio, Jango e até Fidel se relacionaram melhor do que Bolsonaro com os EUA

só para assinantes
Madeleine Lacsko

Madeleine Lacsko é jornalista desde 1996. Participa dos think tanks Instituto Montese pela defesa da democracia e Sociedades Digitais e Relações de Poder, da GoNew.Co. Atuou como Consultora Internacional do Unicef Angola na campanha que erradicou a pólio no país, diretora de comunicação da Change.org para a América Latina, assessora no Supremo Tribunal Federal e do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alesp. Trabalhou na Jovem Pan, Antagonista, CCR e Gazeta do Povo.

Colunista do UOL

11/06/2022 08h00

Na edição desta sexta-feira (10) da Live UOL, comentei o encontro do presidente Jair Bolsonaro com o líder americano, Joe Biden, durante a Cúpulas das Américas, em Los Angeles. A reunião foi descrita como "excepcional" por Bolsonaro, que durante as eleições americanas de 2020, declarou apoio ao ex-presidente Donald Trump.

Durante discurso, Bolsonaro mente ao dizer que Brasil e Estados Unidos já estiveram separados por questões ideológicas. Não sabe, ou omite, que a pior relação entre os dois países acontece no governo dele. O presidente esquece, por exemplo, que os EUA foram o primeiro país do mundo a reconhecer a independência do Brasil.

Desde Dom Pedro I, o país conserva —ou pelo menos conservava, até o governo atual— boas relações com os líderes norte-americanos. Até ex-presidentes como Jânio Quadros e João Goulart, que tinham grande proximidade com países comunistas, conseguiram manter relações mais próximas com os EUA do que Jair Bolsonaro. E até mesmo Fidel Castro conseguiu mais interlocução do que ele.

Nesta edição da Live UOL, falamos também sobre o pedido da PGR, que solicitou à Polícia Federal investigação sobre brasileiros que abordaram o procurador-geral da República, Augusto Aras, durante suas férias em Paris e sobre o apelo de Bolsonaro a empresários do ramo alimentício para que diminuam a margem de lucro na venda de produtos da cesta básica. Ao lado de Felipe Moura Brasil, debato os principais assuntos do país diariamente, das 17h às 18h, com transmissão ao vivo nos perfis do UOL no YouTube, no Facebook e no Twitter.