PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Em dia de candidato, Bolsonaro não sai da televisão e dá três entrevistas

O presidente Jair Bolsonaro dá entrevista ao apresentador Sikêra Jr.  - Reprodução
O presidente Jair Bolsonaro dá entrevista ao apresentador Sikêra Jr. Imagem: Reprodução
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

27/10/2021 19h05

Em visita a Manaus desde a noite de terça-feira (26), o presidente Jair Bolsonaro deu a impressão de cumprir agenda de candidato. Além de comparecer a uma formatura de policiais militares e participar da consagração de pastores em uma igreja evangélica, o presidente dedicou uma parte considerável do tempo a entrevistas.

Na manhã desta quarta-feira (27), prestigiou a inauguração do canal de TV JP News. Além de saudar a estreia, deu entrevista ao programa "Jornal da Manhã", exibida ao vivo. Mostrando que é "de casa", Bolsonaro não se incomodou nem quando os apresentadores chamaram um intervalo comercial e pediram para o presidente esperar um pouco.

"Paulo Guedes tem coração", disse, justificando o gasto fora do teto para pagar o Auxílio Brasil. Questionado amigavelmente, o presidente se disse injustiçado e perseguido e culpou os adversários pelos principais problemas que o seu governo enfrenta.

Na sequência, o presidente deu entrevista ao programa "Pânico", na rádio Jovem Pan. A conversa será exibida pela JP News às 23h. O encontro, como se sabe, saiu do roteiro após cerca de 30 minutos quando o comediante André Marinho fez uma pergunta sobre "rachadinha" em gabinetes de parlamentares. Bolsonaro entendeu a questão como uma provocação e interrompeu a conversa.

Outro incidente ocorreu durante uma entrevista a uma rádio em Manaus. Durante o intervalo, conversando com assessores, Bolsonaro perguntou: "Quanto você acha que vale a vaga pro Supremo Tri…" Ao se dar conta que a transmissão prosseguia em suas redes sociais, parou de falar, riu e mudou de assunto.

No início da noite, Bolsonaro foi ao estúdio da TV Crítica dar uma nova entrevista ao apresentador Sikêra Jr., exibida ao vivo pela RedeTV!. Foi mais um encontro de amigos, com muitas piadas, troca de gentilezas e as perguntas fáceis de sempre.

O presidente reclamou da CPI da Covid, dizendo que prejudicou a imagem do Brasil no exterior. Sikêra, claro, também criticou a CPI. Bolsonaro falou mal da Globo: "Uma televisão que em vez de processar a informação, já dá opinião". Falou do preço dos combustíveis, da inflação ("está no mundo inteiro") e testou os conhecimentos de matemática da equipe do apresentador.

Num dia em que Bolsonaro fez muita propaganda na TV, Sikêra perguntou se o presidente é candidato à reeleição. E ele respondeu: "Não vou falar de política porque a gente apanha, dizem que é eleição antecipada. Só vou falar a partir de março".

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL