PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

"Roger, chegou sua hora", disse agressor de Abdelmassih ao atacá-lo

Ex-médico Roger Abdelmassih foi transferido de presídio para centro hospitalar do sistema penitenciário em São Paulo - Ernesto Rodrigues/Folhapress
Ex-médico Roger Abdelmassih foi transferido de presídio para centro hospitalar do sistema penitenciário em São Paulo Imagem: Ernesto Rodrigues/Folhapress
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

17/11/2020 16h32

O ex-médico Roger Abdelmassih confirmou ter sido agredido por um preso no dia 21 de outubro em seu leito na unidade de terapia semi-intensiva do Centro Hospitalar do Sistema Penitenciário, em São Paulo, mas afirmou não imaginar o motivo da violência.

A declaração foi feita por Abdelmassih ao setor de apuração disciplinar da SAP (Secretaria de Administração Penitenciária). "Me senti muito ameaçado com toda essa situação", afirmou.

A agressão foi feita pelo preso Rafael Henrique Luqui, que estava em outro leito hospitalar. "Ele veio correndo e mancando e disse, Roger, chegou a sua hora", disse o ex-médico, condenado a 181 anos de prisão por crimes sexuais contra pacientes.

Com as duas mãos, o preso tentou esganar Abdelmassih, que foi salvo pelos enfermeiros e pelos agentes de segurança. Ao tentar se defender, o ex-médico chegou a machucar um dos dedos da mão.

Segundo nota divulgada pela secretaria, o preso que agrediu Abdelmassih teria uma parente que foi recentemente estuprada. Ele estava no hospital para tratar de uma fratura no fêmur. Ao saber da presença de Abdelmassih, resolveu atacá-lo.

Perícia recomenda prisão domiciliar para o médico

Abdelmassih está preso desde 31 de agosto, quando o Tribunal de Justiça revogou a prisão domiciliar, determinando que cumprisse sua pena na Penitenciária de Tremembé, no interior paulista. Mas, por razões médicas, foi transferido para o centro hospitalar.

Perícia médica realizada no dia 29 de outubro apontou que Abdelmassih sofre de cardiopatia grave e irreversível. Em seu laudo, o perito José Ricardo Gomes de Alcântara disse à Justiça que o ex-médico deve ser tratado fora do ambiente do cárcere. O tratamento na prisão, afirmou, "pode precipitar descompensações ameaçadoras da vida".

A Justiça deve analisar nas próximas semanas novo pedido de transferência de Abdelmassih para a prisão domiciliar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.