PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

Condenados, João Kleber e RedeTV pagam R$ 125 mil por exibir briga de casal

João Kleber (Divulgação / RedeTV!) - Divulgação / RedeTV!
João Kleber (Divulgação / RedeTV!) Imagem: Divulgação / RedeTV!
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

15/07/2021 10h41

O apresentador João Kleber e a RedeTV! vão pagar R$ 125 mil de indenização a um homem que teve sua imagem exibida sem autorização em um programa sobre briga de casal.

Em novembro de 2004, a ex-mulher de J.S.D. apareceu em sua casa acompanhada de uma equipe de reportagem da emissora. Ela o acusava de ter sequestrado a filha, xingando-o de "assassino, psicopata, safado e covarde".

As imagens foram levadas ao ar no mesmo dia. O rapaz perdeu o emprego e, segundo disse à Justiça, sofreu constrangimento perante amigos e vizinhos.

A RedeTV! se defendeu no processo alegando que exibiu fatos de "interesse público", "verdadeiros" e "narrados pela ex-mulher". Disse que concedeu a J.S.D. a oportunidade para se defender na reportagem, mas que ele optou pelo silêncio.

A emissora afirmou que cumpria sua função social ao exibir reclamações da população, e que o programa atuava como um intermediador, ouvindo as partes envolvidas e auxiliando-as na busca de uma solução.

Na sentença, a juíza Natalia Mascarenhas declarou que as condutas do apresentador e da emissora ultrapassaram o limite do razoável, "explorando o drama familiar de um ex-casal que lutava pela guarda da filha". "Apenas acirraram ânimos já exaltados, incitando a ex-esposa a extravasar a raiva que sentia do ex-companheiro."

A condenação por danos morais foi confirmada em instâncias superiores e não cabe mais recurso.

O apresentador e a emissora assinaram no final de junho um termo de compromisso para o pagamento da indenização, que será feito de modo parcelado até o final deste ano.