PUBLICIDADE
Topo

Rogério Gentile

SBT paga R$ 348 mil de indenização por reportagem de Russomanno de 1994

Celso Russomanno  - ALOISIO MAURICIO/ESTADÃO CONTEÚDO
Celso Russomanno Imagem: ALOISIO MAURICIO/ESTADÃO CONTEÚDO
Rogério Gentile

Rogério Gentile é jornalista formado pela PUC-SP. Durante 15 anos, ocupou cargos de comando na redação da Folha de S.Paulo, liderando coberturas como a dos ataques da facção criminosa PCC, dos protestos de 2013 e das eleições presidenciais de 2010 e 2014, entre outras. Editou a coluna Painel e o caderno Cotidiano e foi secretário de Redação, função em que era responsável pelas áreas de produção e edição do jornal. Atuou como repórter especial da Folha de 2017 a 2020 e atualmente é colunista.

Colunista do UOL

18/10/2021 10h02

O SBT teve de pagar uma indenização cerca de R$ 348 mil a uma empresa que foi alvo de uma reportagem feita em 1994 por Celso Russomanno no programa "Aqui Agora".

Em 23 de maio de 1994, o telejornal acusou a empresa Construtel de aplicar um golpe contra moradores de um condomínio na periferia de São Paulo, desrespeitando os prazos e as condições para a implantação de um sistema de telefonia comunitário.

A empresa processou o SBT declarando que os termos do contrato estavam sendo cumpridos. "Com linguajar chulo, frases de efeito e imagens que não correspondem à realidade, a reportagem fez afirmações levianas e inverídicas sobre a instalação do sistema", afirmou a empresa à Justiça.

O SBT se defendeu no processo reafirmando que a empresa cometeu propaganda enganosa, "vendendo gato por lebre". "Em nenhum momento a reportagem deturpou os fatos", afirmou, elogiando o trabalho de Russomanno, hoje deputado federal.

A Justiça não aceitou a argumentação do SBT e condenou a emissora a pagar a indenização. "A emissora agiu de modo no mínimo imprudente, veiculando informações distorcidas dos fatos", afirmou na sentença o juiz Maurício Campos da Silva Velho.

O SBT recorreu da decisão, mas a sentença foi confirmada nos tribunais superiores.

O valor da indenização estava depositado em uma conta judicial desde 2012. No final do mês passado, o juiz Felipe Poyares Miranda determinou, com o fim do processo, que o dinheiro seja transferido para a empresa.

Fenômeno de audiência na primeira metade dos anos 1990, o "Aqui Agora" prometia mostrar a vida como ela é. Era focado, sobretudo, na cobertura policial e tinha em sua equipe de reportagem nomes populares como Gil Gomes (1940-2018) e Jacinto Figueira Júnior (1927-2005), conhecido como o "Homem do Sapato Branco"

O programa causou polêmicas, transmitindo, por exemplo, o suicídio de uma garota de 16 anos, que se jogou de um prédio. O "Aqui Agora" foi tirado do ar em 1997. Em 2008, voltou a ser exibido, mas, sem o mesmo sucesso, durou pouco mais de um mês.