Tales Faria

Tales Faria

Siga nas redes
Reportagem

Bolsonarismo aproveita posse de Milei para antecipar campanha eleitoral

A ordem unida transmitida pelo ex-presidente Jair Bolsonaro é tentar transformar a posse de Javier Milei como presidente da Argentina numa antecipação da campanha pelas eleições municipais de 2024 no Brasil.

Bolsonaro carregou para a posse de Milei, além de seus filhos, três governadores brasileiros marcadamente bolsonaristas: Tarcísio de Freitas (São Paulo), Claudio Castro (Rio de Janeiro) e Jorginho Mello (Santa Catarina). Além de candidatos à reeleição em 2026, eles tentarão eleger o máximo de aliados em 2024,

O ex-presidente aposta na posse de Milei como o início da formação de uma frente internacional ultraconservadora capaz de influenciar a campanha eleitoral do Brasil em 2024.

Essa frente estará completa se o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump derrotar o atual, Joe Biden, nas eleições presidenciais daquele país.

Os governadores bolsonaristas aderiram de bom grado a essa estratégia, assim como o PL, partido do ex-presidente, e algumas legendas próximas, como o Republicanos, de Tarcísio de Freitas.

Diferentemente do PL, no entanto, o Republicanos ainda mantém um pé em cada canoa, tanto abrindo espaço para candidatos marcadamente bolsonaristas em todo o país, como para candidaturas próximas ao governo.

Essa estratégia está sendo seguida pela maioria dos partidos do chamado centrão: mantêm-se próximos ao governo petista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas não se afastam totalmente do bolsonarismo, às espera de ver para onde soprarão os ventos em 2024.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes