Bill Gates não financia fábrica de mosquitos para 'espalhar dengue'

O empresário Bill Gates não financia uma fábrica de mosquitos para espalhar dengue, conforme publicações que circulam nas redes sociais.

Ele financia um projeto que cria mosquitos para atrapalharem a transmissão de dengue, febre amarela e chikungunya.

O que diz o post

"O GOLPE TA AI, CAI QUEM QUER...FÁBRICA DE M0$QUITO" de Bill G@t?$ a todo vapor na Colômbia aumenta os casos de D?ngue por causa das 'Mudanças Climáticas'", diz a legenda da postagem.

No vídeo, são mostrados prints de matérias de jornais e uma mensagem dizendo que a "fábrica de mosquitos GMO em Medellin deve estar a pleno vapor". "Suderj informa: Sai China. Entra: Mudanças Climáticas! A fábrica de mosquitos GMO em Medellin deve estar a pleno vapor. Após incontáveis reveses nas negociações do Tratado de Pandemias na OMS, a melhor estratégia para o G7 será vincular riscos pandêmicos a crises climáticas. Em 2024, a agenda, como esperado, avança a passos largos".

Uma matéria do UOL sobre a dengue também é exibida, com o título: "Calor em alta faz dengue avançar para outros países e vira ameaça global". Outro print mostra uma postagem feita pela jornalista Patrícia Campos Mello, no X (antigo Twitter), sobre Bill Gates: "Livro ataca Bill Gates e o 'mito' do bom bilionário - Segundo autor, fundação do magnata é apenas um instrumento de poder e faz filantropia colonialista e pouco eficiente".

Por que é falso

Gates realmente investe em fábrica de mosquitos na Colômbia. Em busca simples no Google (aqui), os resultados apresentados mostram que o bilionário financia pesquisas com mosquitos geneticamente modificados (aqui e aqui).

Fábrica de mosquitos de Gates não é para espalhar dengue. Na mesma busca (aqui), é exibido o site do Programa Mundial contra Mosquitos, que explica que os investimentos do empresário são para ajudar no combate a doenças transmitidas pelo inseto (aqui). "O Programa Mundial contra Mosquitos é um grupo de empresas sem fins lucrativos de propriedade da Universidade Monash que trabalha para proteger a comunidade global de doenças transmitidas por mosquitos, como dengue, zika, febre amarela e chikungunya. Temos projetos operando em 14 países e nossos mosquitos Wolbachia protegeram quase 11 milhões de pessoas (dezembro de 2022)".

Vídeo no Youtube de Gates explica como funciona pesquisa. Em três minutos de vídeo, o fundador e diretor do programa, Scott O'Neill, mostra os laboratórios de pesquisa envolvendo os mosquitos (aqui). Na descrição do vídeo, Gates diz que os mosquitos não são prejudiciais à população. Veja:

Continua após a publicidade

Dentro de um prédio de tijolos de dois andares em Medellín, na Colômbia, os cientistas trabalham longas horas em laboratórios abafados que criam milhões e milhões de mosquitos. Eles atendem a todas as necessidades dos insetos à medida que crescem de larvas a pupas e até adultos, mantendo a temperatura ideal e alimentando-os com porções generosas de farinha de peixe, açúcar e, claro, sangue. Depois, libertam-nos por todo o país para se reproduzirem com mosquitos selvagens que podem transmitir a dengue e outros vírus que ameaçam adoecer e matar a população da Colômbia. Isso pode soar como o início da trama de um filme de terror de um escritor de Hollywood. Mas isso não. Esta fábrica é real. E os mosquitos libertados não aterrorizam a população local. Longe disso. Na verdade, eles estão ajudando a salvar e melhorar milhões de vidas.
Bill Gates, na descrição do vídeo

Em seu site, Bill Gates diz que os mosquitos da pesquisa impedem que os mosquitos selvagens espalhem doenças (aqui). "Os mosquitos produzidos nesta fábrica carregam uma bactéria chamada Wolbachia que os impede de transmitir dengue e outros vírus, como zika, chikungunya e febre amarela aos humanos. Ao libertá-los para se reproduzirem com mosquitos selvagens, espalham as bactérias, reduzindo a transmissão do vírus e protegendo milhões de pessoas de doenças.

Matéria compartilhada por Campos Mello não cita relação de Bill Gates com a dengue, apenas críticas de autor de livro ao empresário. O texto da jornalista apenas mostra a opinião do escritor americano Tim Schwab (aqui), que diz que "a Fundação Bill e Melinda Gates é um mero instrumento de poder do fundador da Microsoft, que usa a filantropia para ganhar influência, polir sua reputação e se aproveitar de incentivos fiscais".

Aumento dos casos de dengue acontece por questões climáticas. A escalada da doença tem relação com o calor excessivo combinado às chuvas intensas, efeitos associados ao fenômeno climático El Niño, segundo a OMS (link).

O conteúdo também foi checado pelo Boatos (aqui).

Sugestões de checagens podem ser enviadas para o WhatsApp (11) 97684-6049 ou para o email uolconfere@uol.com.br.

Continua após a publicidade

Fabíola Cidral conta como reconhecer logo de cara uma fake news

Siga UOL Notícias no
UOL Confere

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes