Topo

9º dia: ônibus, van escolar, viaduto e caminhão de lixo são alvos no CE

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL

10/01/2019 22h42Atualizada em 11/01/2019 00h25

A onda de ataques no Ceará completou nove dias nesta quinta-feira (10) com um ônibus urbano, uma van escolar e um caminhão de lixo incendiados e um viaduto atingido pela explosão de uma bomba na capital, Fortaleza. Até as 17h, informou a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), 287 pessoas haviam sido presas ou apreendidas (caso de menores de idade) sob suspeita de participar nos atentados.

Testemunhas afirmam que, pouco antes das 22h, foi ouvida uma grande explosão sob um viaduto do bairro Messejana. O Corpo de Bombeiros foi acionado e, ainda no começo da madrugada desta sexta (11), avaliava os riscos à estrutura de concreto. Ninguém teria ficado ferido.

Viaduto alvo de ataque a bomba no bairro de Messejana, em Fortaleza (CE), na noite desta quinta-feira (10) - Reprodução/Youtube
Viaduto alvo de ataque a bomba no bairro de Messejana, em Fortaleza (CE), na noite desta quinta-feira (10)
Imagem: Reprodução/Youtube

À tarde, registraram-se ataques em pelo menos quatro bairros de Fortaleza, e os ônibus circularam com frota reduzida durante a noite.

Um caminhão que fazia coleta de lixo foi incendiado no bairro Ancuri e teve a parte da frente totalmente destruída. Há uma semana, o serviço de recolhimento de lixo está prejudicado em Fortaleza e, desde quarta-feira (9), policiais militares escoltam as equipes nos bairros considerados mais críticos.

No bairro Bom Jardim, um caminhão e um carro foram incendiados. Em Mondubim, também Fortaleza, uma van de transporte escolar foi queimada.

Pela manhã, um ônibus foi alvo de criminosos e incendiado bairro do Siqueira.

Reação do Estado

Nesta tarde, o governador Camilo Santana (PT) se reuniu com chefe dos demais poderes e pediu apoio para seguir com ações firmes contra os criminosos. "A minha decisão é não recuar nenhum milímetro e não tenho dúvida que essas ações terão reflexo positivo para os cearenses no futuro próximo", afirmou.

Mais Segurança pública