PUBLICIDADE
Topo

Após seguidas quedas, homicídios sobem no 1º mês de Doria governando SP

Getty Images/BBC Brasil
Imagem: Getty Images/BBC Brasil

Leonardo Martins e Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

25/02/2019 16h40

Após um ano de queda, o número de homicídios voltou a crescer no estado de São Paulo em 2019 sob a gestão de João Doria (PSDB) no governo do estado.

Segundo o levantamento divulgado hoje pela SSP (Secretaria da Segurança Pública), o mês de janeiro deste ano registrou 284 vítimas de homicídio, um aumento de 2,5% em comparação com janeiro de 2018, quando foram registradas 277 ocorrências. 

Em janeiro de 2018 Geraldo Alckmin (PSDB) ainda era o governador do estado de São Paulo. Ele deixou o cargo três meses depois, para concorrer à Presidência nas eleições, ao seu vice, Márcio França (PSB-SP), que tocou o executivo até o final do ano passado. 

Ao longo do ano passado, apenas em dezembro o número de vítimas de homicídio foi maior do que o registrado neste mês, com 289 mortos por homicídio doloso. 

O tema da Segurança Pública sempre foi um dos temas mais abordados durante as campanhas dos candidatos ao governo do estado. O pleito de 2018 não foi diferente, quando o assunto esteve entre as principais propostas dos candidatos tanto para o governo estadual quanto para o federal, principalmente, pelos vencedores João Doria e Jair Bolsonaro (PSL). 

Ainda em campanha, em setembro passado, Doria disse em entrevista à Rádio Bandeirantes que, a partir deste ano, caso fosse eleito, "se fizer enfrentamento com a polícia e atirar, a polícia atira. E atira para matar". Após a fala, o comandante-geral da PM disse ao UOL que a PM deve proteger vidas.

Ao UOL, o secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, afirmou que "nenhuma morte é aceitável", mas ponderou. "Foram oito a mais em relação a janeiro passado e quatro a menos em relação a dezembro. Logicamente, devemos continuar trabalhando para reduzir", disse.

Segurança pública