Topo

Receita apreende 330 kg de cocaína no Ceará; carga é avaliada em R$ 49 mi

15.ago.2019 - Funcionários da Receita Federal junto a mochilas onde a cocaína foi encontrada - Divulgação/Receita Federal
15.ago.2019 - Funcionários da Receita Federal junto a mochilas onde a cocaína foi encontrada Imagem: Divulgação/Receita Federal

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

17/08/2019 00h32

Uma carga de 330 kg de cocaína, avaliada em R$ 49 milhões, foi encontrada na manhã de ontem escondida em um contêiner carregado de mel no porto do Pecém, na região metropolitana de Fortaleza (CE). A droga apreendida estava embalada em dez mochilas junto a uma carga de mel que seria exportada para a Bélgica, na Europa.

Segundo a Polícia Federal, esta é a maior apreensão de drogas da história já feita em portos do Ceará. A cocaína apreendida será levada para a Superintendência da Polícia Federal, em Fortaleza. Ainda não se sabe quem trouxe o entorpecente e quem iria recebê-lo na Europa e se a droga iria ser retirada em alto-mar, por navios menores, ou se teria o destino final a Bélgica.

O contêiner faria uma rota inaugural do porto do Pecém para um porto belga. Antes, os carregamentos no Pecém eram levados para a região da Antuérpia. A carga seguiria anteontem, mas autoridades portuárias brasileiras receberam informações da Aduana Americana de que um contêiner que iria para a Bélgica estava com cocaína. A Receita Federal iniciou a busca, na quarta-feira (14) e, um dia depois, acionou a Polícia Federal.

A descoberta da droga foi feita pela Receita Federal. Após detectar o material suspeito, a equipe da Receita Federal realizou o narco teste e confirmou que as dez bolsas estavam com cocaína.

Não há suspeita de participação do exportador do mel no tráfico de drogas. O contêiner com mel veio do Piauí e foi "contaminado" com a carga de cocaína no Pecém, segundo apurou as autoridades, por meio de imagens do circuito de gravação do porto.

A droga foi trazida em um caminhão para o pátio do porto, na última terça-feira (13). Agora, as autoridades portuárias tentam descobrir a quem pertence o veículo para identificar os responsáveis pela droga.

Um outro contêiner carregado de sucata está sendo inspecionando, com auxílio de um cão farejador, para descobrir se existem mais drogas escondidas na caixa de transporte marítimo. As buscas ocorrem de forma minuciosa, devido ao perigo do material.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no título desta matéria, a apreensão foi feita pela Receita Federal e não pela Polícia Federal. A informação já foi corrigida.

Mais Cotidiano