PUBLICIDADE
Topo

MPF constitui equipe para investigar ligação entre PCC e máfia italiana

Policiais europeus durante mega-operação que prendeu 90 suspeitos de ligação com a máfia italiana "Ndrangheta em 2018 - 05.dez.2018 - Christoph Reichwein/DPA/AFP
Policiais europeus durante mega-operação que prendeu 90 suspeitos de ligação com a máfia italiana 'Ndrangheta em 2018 Imagem: 05.dez.2018 - Christoph Reichwein/DPA/AFP

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

14/05/2020 11h50

Resumo da notícia

  • Órgão terá colaboração internacional para trocas de informações entre Brasil e Itália
  • Equipe foi montada pela "necessidade" de investigação ter mais agilidade no país
  • UOL vem revelando detalhes sobre o elo entre o PCC e a 'Ndrangheta desde 2018

O MPF (Ministério Público Federal) decidiu no fim do mês passado constituir um grupo para aprimorar a investigação brasileira sobre o elo entre a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e a máfia italiana 'Ndrangheta. O UOL vem revelando, desde o fim de 2018, detalhes sobre os negócios feitos entre as duas organizações criminosas.

Investigações feitas pelo UOL com base em documentos brasileiros e italianos —alguns sigilosos— mostram que, em pelo menos dois anos, os grupos movimentaram 2 toneladas de cocaína equivalentes a cerca de R$ 1 bilhão.

A reportagem revelou nos últimos dois anos os acordos feitos entre PCC e 'Ndrangheta e mostrou que os líderes italianos circulavam livremente pelo Brasil, constituindo família e empresas de fachada, sem nem precisar esconder a identidade.

A SCI (Secretaria de Cooperação Internacional) do MPF decidiu no fim do mês passado constituiu a ECI (Equipe Conjunta de Investigação) com autoridades italianas e Ministério da Justiça e Segurança Pública. A ECI também terá a participação da Eurojust, agência da União Europeia para a Cooperação Jurídica Criminal.

"O propósito principal da ECI será a investigação e a persecução de crimes relacionados à organização criminosa 'Ndrangheta. Baseada na região da Calábria, na Itália, a Ndrangheta tem ramificações no próprio país e também no exterior. Na América do Sul e, especificamente no Brasil, a organização atua primordialmente com o tráfico internacional de drogas", diz, em nota, o MPF.

Secretário de Cooperação Internacional do MPF, Hindemburgo Chateaubriand Filho afirmou que "percebeu-se que o mecanismo tradicional da cooperação jurídica internacional não se mostra rápido o suficiente para permitir troca coordenada e ágil de informações".

Desse modo, as autoridades dos países decidiram assinar o acordo para constituir a equipe que irá coordenar medidas investigativas. Segundo o MPF, a ECI irá assegurar as garantias de proteção de testemunhas e de confidencialidade das investigações e ações criminais, respeitando-se sempre as leis nacionais dos estados envolvidos.

De modo geral, a nova equipe faz parte do Acordo Quadro de Cooperação entre os Estados Partes do Mercosul e Estados Associados para a Criação de Equipes Conjuntas de Investigação, firmado em 2010, e também está prevista na Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional, na Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção e na Convenção Contra o Tráfico Ilícito de Entorpecentes e Substâncias Psicotrópicas.

Ouça também o podcast Ficha Criminal, com as histórias dos criminosos que marcaram época no Brasil. Esse e outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Segurança pública