PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Guarda usa arma de choque para conter homem sem máscara em praia do Rio

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

19/07/2020 17h32

A Guarda Municipal usou uma arma de choque para conter um homem que teria se recusado a usar máscara de proteção ontem à tarde na praia de Copacabana, zona sul do Rio.

Segundo os agentes, o rapaz xingou a equipe em patrulhamento na areia, que pediu o seu documento de identidade para notificá-lo pela infração. O órgão autuou 81 pessoas nas praias da zona sul e zona oeste por estarem sem máscara na areia neste fim de semana. O estado do Rio contabiliza mais de 12 mil mortes por covid-19, doença causada pelo novo coronavírus —195 delas nas últimas 48 horas.

Um vídeo de 3 minutos, gravado pelos próprios guardas, mostra o momento da abordagem, feita por três agentes. "Me acompanha até a delegacia", ordena um deles. "Pessoal, filma isso aqui", responde o jovem.

O rapaz, então, grita, enquanto os agentes tentam contê-lo: "Peraí, eu não tô fazendo nada." Outros três agentes monitoram. "Fica calmo, você está fazendo desacato", diz uma mulher, que não aparece no vídeo. "Ele xingou o guarda municipal", responde um homem.

Em seguida, os guardas pedem que ele se acalme. Mas a discussão continua. Um dos guardas aplica um golpe de mata-leão no rapaz. "Solta o meu pescoço", pede o jovem. O agente segue aplicando o golpe, mas o jovem consegue escapar da imobilização, deixando os agentes no chão e se afastando. "Cara, arma de choque", diz um dos agentes. O rapaz, então, cai na areia, após o disparo.

Na sequência, o jovem é algemado, conduzido para o veículo da Guarda e levado para a 12ª DP (Copacabana),onde foi autuado pelos crimes de desacato, desobediência e resistência.

Até sexta-feira (17), a Guarda Municipal registrou 2.233 infrações sanitárias —1.532 delas pela falta do uso de máscara, obrigatória na cidade.

"Abordagem foi correta", diz especialista

O UOL encaminhou o vídeo ao antropólogo Paulo Storani, capitão veterano do Bope, a tropa de elite da PM-RJ (Polícia Militar do Rio), para que ele avaliasse se houve excesso na abordagem.

"Houve ali uma resistência, com o aumento gradativo do uso da força, técnica usada pela Guarda Municipal. Houve uma orientação, que não foi obedecida. Partindo da premissa de que a ação era legal, a abordagem foi correta. Por mais impacto que o vídeo possa ter na visão das pessoas, não foi uma ação abusiva", explica.

Cariocas descumprem normas nas praias

Em um fim de semana de muito sol e pouca fiscalização, os cariocas foram às praias do Rio e descumpriram determinações impostas pelas medidas de flexibilização da quarentena da prefeitura. Na praia do Arpoador, zona sul carioca, o UOL flagrou dezenas de pessoas jogando altinhas (um jogo de futebol em que a bola não pode tocar no chão) e futevôlei.

Esportes coletivos passaram a ser permitidos na fase 4 da flexibilização, que entrou em vigor na sexta-feira (17). Mas a prática não é permitida nos fins de semana. A altinha ainda não foi liberada. A reportagem também registrou pessoas tomando banho de sol sem máscara nas praias de Copacabana e Ipanema, também na zona sul.

O que pode e o que não pode nas praias do Rio

  • São permitidas atividades esportivas individuais nas praias do Rio desde 17 de junho, quando começou a fase 2 da flexibilização da quarentena;
  • Esportes coletivos, como futevôlei, futebol e frescobol, passaram a ser permitidos desde sexta-feira (17), na fase 4. Mas só podem ser praticados de segunda a sexta-feira. Essas atividades ainda são proibidas nos finais de semana;
  • A prática de altinha segue proibida;
  • Atividades físicas no calçadão são permitidas desde 2 de junho, na fase 1 da flexibilização da quarentena;
  • É proibido permanecer na areia sem o uso de máscara de proteção;
  • Também é proibido tomar banho de sol.

Coronavírus